Alcione Araújo foi um entusiasta da Jornada de Literatura de Passo Fundo

Escritor morreu na madrugada desta quinta-feira, em Belo Horizonte, aos 67 anos

Alcione Araújo também ajudava a organizar a edição de 2013 do evento
Alcione Araújo também ajudava a organizar a edição de 2013 do evento Foto: Claudia Baartsch

A Jornada Nacional de Literatura de Passo Fundo perdeu um grande entusiasta. Morreu na madrugada desta quinta-feira, em Belo Horizonte, aos 67 anos, o autor e diretor teatral Alcione Araújo.

Nascido em Januária (MG) e radicado no Rio de Janeiro, ele escreveu peças como Há Vagas para Moças e Muitos Anos de Vida. O autor assinava também roteiros para cinema e televisão.

Araújo teria sofrido uma parada cardíaca de madrugada no hotel onde estava hospedado com a namorada, sem tempo sequer para atendimento médico. O escritor era pai da professora de filosofia Carolina, 37 anos, e tinha dois netos. O enterro será realizado no Rio de Janeiro, onde Alcione vivia.

Como convidado, Araújo pisou pela primeira vez no Circo da Cultura da Jornada Nacional de Literatura de Passo Fundo, no norte do Estado, na edição de 1999. Entusiasmado com a manifestação literária, o escritor passou a ser um dos coordenadores do movimento na edição seguinte, em 2001. Desde então, ajudou a organizar todas as edições.

– Ele tinha uma grande sensibilidade e se dispôs a ser nosso consultor. Era um grande amigo da Jornada – lamenta a coordenadora do evento, Tania Rösing.

A professora lembra com carinho a dedicação de Alcione, que também ajudava a organizar a edição de 2013 do evento. Em outubro, Tania visitou o escritor em sua casa no Rio de Janeiro para falar sobre a próxima Jornada. Ela recorda da animação do autor:

– Não era apenas um autor, era um entusiasta da literatura. Amigos assim são difíceis de serem encontrados.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna