Alimentação correta fortalece os músculos e evita quedas de idosos

Nutrientes não ingeridos por meio das refeições habituais podem ser repostos com suplementos

Não esqueça dos cuidados com as unhas dos pés no inverno
Não esqueça dos cuidados com as unhas dos pés no inverno Foto: Adriana Franciosi

As quedas são a principal causa de internação e a terceira causa de morte de idosos por fatores externos no estado de São Paulo, segundo o Datasus. Homens e mulheres idosos estão igualmente sujeitos a tombos dentro e fora de casa, porque seu organismo é mais delicado e necessita de cuidados especiais. A alimentação pode ser um grande aliado na manutenção da saúde e do tônus físico, o que ajuda a reduzir a probabilidade de quedas. O alerta é feito durante a Semana Mundial de Prevenção de Quedas em Idosos pelo clínico geral e nefrologista Egídio Lima Doria, coordenador do Laboratório de Clínica Médica do Hospital Universitário da USP.

– A queda sempre é resultado de uma conjunção de fatores. O importante é entender porque o idoso cai para atuar na prevenção desse tipo de acidente – afirma o médico.

De acordo com o especialista, a literatura médica mostra que 30% das pessoas acima dos 60 anos sofrem quedas e 50% voltam a cair no período de um ano. Entre as pessoas com mais de 80 anos, metade já sofreu quedas.

As razões que levam os idosos a caírem podem estar relacionadas a fatores externos – como má iluminação, pisos escorregadios, objetos que atrapalham a circulação e uso de sapatos inadequados – mas principalmente a condições relativas à saúde da pessoa, principalmente fraqueza das pernas, desequilíbrio, demência e depressão. Esses quadros, por sua vez, podem ser causados por doenças e problemas de saúde, mas também pela falta de alimentação correta.

Egídio lembra que diversos fatores levam o idoso a se alimentar de maneira inadequada. São comuns a diminuição do apetite e do paladar, além da dificuldade de mastigação devido à perda da dentição ou ao uso de próteses dentárias. Além disso, muitos idosos moram sozinhos e não têm disposição para preparar a própria comida.

– Às vezes eles preferem comer pão com manteiga acompanhado de um copo de café com leite a fazer uma refeição balanceada – explica o médico.

Muito perigosa é a baixa ingestão de proteínas e aminoácidos, que ajudam a compor os músculos e a manter a massa magra do corpo. Esses nutrientes estão presentes principalmente nas carnes, alimento que muitos idosos rejeitam. A dificuldade de mastigação e a lentidão do trânsito digestivo típicos da idade fazem com que o idoso acabe comendo menos carne que o necessário.

Em casos em que a alimentação normal não é suficiente, é necessário o consumo de suplementos alimentares para garantir os nutrientes que o corpo precisa. Existem hoje no mercado suplementos líquidos ou em pó desenvolvidos especificamente para a nutrição de idosos, que além de fornecer energia, supre as necessidades de proteínas, vitaminas e minerais.

Esses suplementos podem ser usados como substitutos do café da manhã ou do jantar, ou consumidos como complemento das refeições. Existem inclusive versões sem sabor que se misturam aos alimentos sem alterar a consistência, o que facilita a aceitação do tratamento pelo idoso.

– Uma nutrição adequada previne doenças, melhora a saúde e permite ao idoso desfrutar de uma vida muito mais ativa – conclui.

Fonte: Ketchum Estratégia

Leia mais
Comente

Hot no Donna