Amor de mãe: Lucinha Araújo, a mãe de Cazuza, fala do sentimento

Desde a pré-história, mães já eram incondicionalmente entregues aos seus filhos

No Dia das Mães, Lucinha revela que lembra do filho diariamente
No Dia das Mães, Lucinha revela que lembra do filho diariamente Foto: Ver Descrição

No livro Só As Mães São Felizes, Lucinha Araújo, mãe de Cazuza, descreve o que sentiu no dia da morte do filho. A vontade era voltar no tempo e colocá-lo de volta dentro do próprio útero.

? Não há dor maior ? sintetiza.

Passados 21 anos da morte do músico, Lucinha, 74 anos, garante que a dor não foi embora. Só mudou:

? Quando ele morreu, parecia que meu coração tinha sido arrancado. Minha alma, amputada. É como se tivesse ficado aleijada para toda a vida. De fato, tenho marcapasso no coração e pontes de safena. Hoje tenho meus momentos de felicidade. Mas lembro do meu filho diariamente. Sonho com ele. Sinto muita saudade e tenho certeza que se há vida depois da morte, meu filho está lá me esperando ? disse Lucinha, por telefone, à reportagem do Donna.

Há 500 mil anos, na Pré-História, mães já eram incondicionalmente entregues aos seus filhos. Enquanto os homens saíam para caçar, elas ficavam nas cavernas cuidando da prole. Ao analisar os primórdios da história em A Origem da Família, da Propriedade Privada e do Estado, Friedrich Engels sentencia que a maternidade é quase que uma derrota histórica quanto ao papel da mulher na sociedade. Ao priorizar os filhos, a mulher deixou ao homem o papel de desbravador nos campos da ciência, da política e social.

Viajando até o tempo atual, mães são novamente protagonistas e, agora, por necessidade, desafiam a lógica de Engels. De acordo com dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) divulgados em 2010, entre 2001 e 2009, o percentual de famílias brasileiras chefiadas por mulheres subiu de 27% para 35%. Em termos absolutos, são quase 22 milhões de mulheres comandando a casa.

? A mãe é o fator integrador da família. Se o pai morrer, ausentar-se ou abandonar a família, a mãe assume o comando. Na maioria das vezes, o contrário não acontece ? afirma Clair Castilho, autora de textos sobre feminismo e co-fundadora do mais antigo grupo feminista de Santa Catarina, Casa da Mulher Catarina.

Não à toa, a presidente Dilma Rousseff concentrou no nome das mães o cadastro dos programas de erradicação da miséria. No Dia Internacional da Mulher, ao falar no Café com o Presidente, Dilma destacou que o sucesso do Bolsa Família está diretamente ligado à adesão de mães:

? O Bolsa Família foi criado para reduzir a pobreza. E está reduzindo. Mas sem a participação ativa das mães, isso não estaria acontecendo. Dos quase 13 milhões de benefícios que distribuímos, 93% são de responsabilidade das mães de família.

Se no início deste texto Lucinha conseguiu descrever parte do sentimento de ser mãe, defini-lo é improvável:

? Não tem comparação com qualquer outro tipo de amor. É indefinível.

 

Clique aqui e faça uma homenagem a sua mãe ou tente definir amor de mãe

 

MÃES NO CINEMA

Confira lista de filmes em que mães são protagonistas

Um Sonho Possível (2010), de John Lee Hancock. Baseado numa história real, o longa narra a trajetória do jogador de futebol americano Michael Oher, que ganhou uma família após ser acolhido por Leigh Anne (Sandra Bullock)

Salve Geral (2009), de Sérgio Rezende. No Dia das Mães, a cidade de São Paulo está sitiada e Lúcia (Andréa Beltrão) luta desesperadamente para salvar a vida do seu filho.

A Troca (2008), de Clint Eastwood. Angelina Jolie vive uma mãe que luta para recuperar o filho desaparecido. Ela chega a ser internada como louca, mas além de encontrar o seu filho, consegue condenar o seu assassino.

Tudo sobre minha mãe (1999), de Pedro Almodóvar. Após a morte do filho, mãe vai ao encontro do pai, que vive em Barcelona, para dar a notícia da morte do filho, quando encontra no caminho o travesti Agrado (Antonia San Juan), a freira Rosa (Penélope Cruz) e a própria Huma Rojo.

Flordelis ? Basta uma Palavra para Mudar (2009), de Marco Antonio Ferraz e Anderson Corrêa. História verídica de uma mulher que se tornou mãe de 40 crianças

O Maior Amor do Mundo (2006), de Cacá Diegues. Após saber que sofre de uma doença fatal, um famoso astrofísico toma conhecimento da história de amor de seus pais biológicos.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna