Anéis, taças, pratos… Vale tudo para comemorar o casamento de William e Kate

Objetos comemorativos adquirem valor conforme a raridade e data de fabricação

Mercado de cerâmicas está movimentado com a proximidade da boda real
Mercado de cerâmicas está movimentado com a proximidade da boda real Foto: AP

Compartilhar

O anúncio do casamento do príncipe William com Kate Middleton deu origem a uma série de objetos comemorativos elaborados, às vezes com bom gosto, outras, nem tanto. São pratos, taças e até imitações do famoso anel de noivado da princesa Diana que o herdeiro do trono deu para a sua prometida.

Uma página na internet, batizada de “modelos inspirados na princesa”, disponibiliza uma série de anéis mais ou menos parecidos ao original de safira, com preços que oscilam entre 39,54 e 300 libras (460 dólares, 350 euros). Os grandes joalheiros também perceberam o filão e lançaram cópias de milhares de libras.

A consultora Verdict contabilizou o aumento do consumo ligado ao casamento real em 620 milhões de libras (960 milhões de dólares, 730 milhões de euros), dos quais pelo menos 30 milhões em suvenires colecionáveis com o retrato dos noivos.

A primeira linha de louças aprovada pelo jovem casal já está à venda nas casas reais britânicas. Os pratos, taças, jarras de cerveja e até paliteiros de porcelana, adornada em tons cinza e dourado, com o monograma do casal e muitos laços são “clássicos e contemporâneos”, segundo um porta-voz da coleção real.

O jornal The Times lançou um concurso de design de pratos entre seus leitores, aos quais recomendou usar “sinos, laços e flores”, bem como os emblemas reais ? o leão e o dragão ? e, talvez, debrum. A peça escolhida será fabricada por artesãos em Stoke-on-Trent (centro da Inglaterra).

A ideia não é nada nova. A venda de objetos com o selo real começou sob o reinado da rainha Victoria. A vasilha fabricada para sua coroação, em 1838, continua sendo vendida hoje entre 400 e 600 libras a peça.

? As taças e pratos fabricados em série hoje quase não valem nada. Para inverter, aconselharia a porcelana do século XVIII ? disse Antoinette Megen, especialista da casa de leilões Bonham’s.

A casa pôs à venda recentemente, por 200.000 libras (310.000 dólares, 236.000 euros), chaleira de 1713-14 com o emblema de Sofia de Hanover, a mãe do rei George I, que poderia ser “a primeira ‘recordação’ de porcelana da Europa”.

? Como em qualquer coleção, o que é importante é amar o objeto, ter vontade de contemplá-lo e recordar através dele ? disse Mergen.

Isto é o que fez durante toda a vida uma colecionadora apaixonada, Margaret Tyler, proprietária de cerca de 10 mil suvenires reais que adornam todos os centímetros quadrados da parede em sua casa de Wembley, ao norte de Londres.

A coleção é assegurada por um valor de 40.000 libras (61.000 dólares, 47.000 euros), mas Tyler destaca que ignora totalmente seu valor porque não tem nenhuma intenção de vendê-la.

Para os que não simpatizam da realeza, o movimento “República” também vende uma taça de recordação, mas com uma inscrição vingativa: “Não sou uma taça de casamento real”.

Leia mais
Comente

Hot no Donna