Antes considerados uma prática ocidental, beijos começam a ganhar popularidade na Índia

Estudos recentes sugerem que manifestações públicas de amor têm crescido consideravelmente entre os indianos, contrariando as tradições do país asiático

Casal troca olhares antes de se beijar em parque público de Nova Deli, na
Casal troca olhares antes de se beijar em parque público de Nova Deli, na Foto: Manpreet Romana

Nova Déli A Índia pode ser o berço do Kama Sutra, o antigo manual de instruções sobre beijos e sexo. Mas durante muitos anos, casais indianos não adotaram completamente o ato de beijar, pelo menos não em público. Agora isso está mudando.

Acredita-se que o Mahabharata, um poema épico escrito há três mil anos, contenha a primeira descrição por escrito do beijo na boca. Mas estudos antropológicos realizados durante o século passado na Índia e em outros lugares da Ásia mostraram que o ato de beijar estava longe de ser universal e era visto até mesmo como impróprio por muitas sociedades, explicou Elaine Hatfield, professora de psicologia na Universidade do Havaí.

Sanjay Srivastava, professor de sociologia no Instituto de Crescimento Econômico na Universidade de Déli, disse: ? Até recentemente, beijar era visto como uma coisa ocidental e não indiana de se fazer. Isso mudou.

Na Índia a maioria dos casamentos ainda é arranjada, e a taxa de sexo antes do casamento é baixa, de acordo com uma pesquisa do governo, por isso os beijos apaixonados entre namorados antes do casamento há muito têm sido desencorajados. Muitas pessoas casadas também evitam a situação, pelo menos na frente de outras pessoas. Mas estudos recentes, apoiados por entrevistas com sociólogos e psiquiatras na Índia, sugerem que a popularidade do beijo tem crescido consideravelmente.

A castidade é vista como algo muito desejado na Índia, e os indianos, como resultado, também tendem a ver expressões públicas de amor, sejam elas físicas ou verbais, com suspeita, segundo o Dr. Roy Abraham Kallivayalil, presidente da Sociedade Indiana de Psiquiatria.

? Eu não digo a minha esposa que a amo ? disse Kallivayalil. ? Meu pai nunca, em 88 anos, disse que me amava. Nós não fazemos esse tipo de coisa.

Um estudo liderado por James Witte, professor de sociologia na Universidade George Mason, em Virgínia, relatou que mais da metade de uma série de voluntários entrevistados na Índia disse terem beijado ao menos algumas vezes durante a semana. Ele solicitou os entrevistados através de portais na internet, em inglês, mas os avisou que suas cobaias não seriam aleatórias. Ele disse que abordou pessoas que fossem “bem educadas, mais jovens e mais urbanas” e que tivessem acesso à internet.

Na pesquisa de Witte, dos 112 entrevistados no módulo beijo, 24,1 por cento disseram ter beijado apaixonadamente “muitas vezes ao dia”, mas quando questionados sobre beijar, abraçar e fazer carícias em público, 41,1 por cento dos participantes escolheram “quase nunca ou de jeito nenhum”.

Um beijo essencial nas telas refletiu o cenário romântico em mudança aqui. Cenas de beijo eram proibidas pela censura do cinema indiano até os anos 90, e Shah Rukh Khan, galã que é um dos maiores astros de cinema do mundo, tem provocado o público indiano em dezenas de filmes desde então ao levar seus lábios para dolorosamente perto dos de suas lindas heroínas. Mas seus lábios nunca tocaram os de nenhuma delas até que ele beijou a nova sensação Katrina Kaif em “Jab Tak Hai Jaan”, lançado em dezembro de 2012.

Khan atentou suavizar o impacto, dizendo em uma entrevista que seu diretor o fez fazer aquilo. Mas o Rubicão cultural já havia sido atravessado.

? Aquele beijo foi um momento incrivelmente importante ? Srivastava disse. ? Shah Ruh Khan define o que faz sucesso. Se ele faz, torna-se aceitável.

O crescimento da onda por aqui pode também refletir o crescimento do poder das mulheres jovens de decidir com quem se casar, disse Debra Lieberman, professora adjunta de psicologia evolucionista na Universidade de Miami. Em muitos casos, “as mulheres agora podem selecionar parceiros sem precisar negociar tanto com os membros da família”, explicou Lieberman.

E o Dr. Avdesh Sharma, psiquiatra que atua em Nova Déli, disse que suas pacientes jovens estão muito mais insistentes do que suas mães eram para que suas necessidades emocionais sejam atendidas. Isso geralmente envolve o ato de beijar.

? Os termos e a hora da intimidade costumavam ser iniciados e decididos inteiramente pelo homem ? Sharma disse. ? Isso já não é mais verdade.

Na verdade, enquanto casamentos arranjados ainda são a norma na Índia, uma crescente porção de casais jovens diz que suas visões têm um papel no processo. Se uma jovem não gosta do homem que seus pais escolheram, muitas famílias agora oferecem o veto.

Prakash Kothari, fundador do departamento de medicina sexual no Seth Gordhandas Sunderdas Medical College, em Mumbai, disse que suas pacientes estão muito mais exigentes do que costumavam ser.

? Durante muitos anos, a maioria dos homens indianos usava o sexo com as parceiras como uma pílula para dormir, e poucos dedicavam qualquer tempo às preliminares ? Kothari disse. ? Hoje muitas mulheres podem pedir o que querem.

Aseem Chhabra, colunista do The Mumbai Mirror, um jornal em inglês que apresenta notícias locais, disse que demonstrações públicas de afeto ainda são visões raras na Índia. “Não é como se você pudesse andar pelas ruas de Déli ou Mumbai e ver as pessoas se beijando. Ainda é um grande tabu”, pontuou.

? Os jovens de 20 e poucos anos que receberam educação estão assistindo a muito mais filmes de Hollywood ? disse ele. ? Não é que eles estejam imitando, mas eles estão se inspirando.

Rajat e Neha, dois jovens de 22 anos no majestoso parque Lodi Gardens de Nova Déli, concordaram em conversar sobre porque gostam de beijar, mesmo quando seus pais não o fizeram ? ao menos na frente deles.

“Amor”, Rajat disse simplesmente enquanto Neha concordava com a cabeça. O casamento dos pais deles foram arranjados; eles esperam casar por amor. Eles pediram que seus sobrenomes fossem mantidos em segredo, no entanto, em parte porque eles são de castas diferentes e temem que seus pais não aprovem.

Rajat e Neha esperam se formar na faculdade esta primavera; eles dizem que seu relacionamento físico não foi além dos beijos e carinhos. Eles se conheceram quatro anos atrás em um parque quando ele se aproximou e perguntou se ela queria ser sua amiga. Ela concordou mas logo suspendeu o relacionamento durante sete meses enquanto estudava para a última série de provas do colegial.

? Foi muito difícil passar um dia sem ela ? Rajat disse. ? Um único dia.

Logo depois das provas, ela ligou para ele. Ela havia memorizado o telefone dele porque não queria que seus pais vissem o número em seu telefone.

? Eu sabia que ele estava esperando por mim ? disse Neha.

Eles se encontram regularmente em Lodi Gardens, que é longe o suficiente de suas casas para que a descoberta seja improvável. Em contrate com os parques em outras cidades indianas, a polícia de Déli raramente aborda jovens casais em Lodi Gardens. Mas, frequentemente, rapazes ficam sentados olhando fixamente para casais que se beijam. Em uma tarde recente, os casais que se beijavam tiveram o fardo extra de enxotar um repórter estrangeiro que, desajeitadamente, pedia entrevistas.

Rajat e Neha dizem ter planos de revelar seu amor para seus pais em algum momento no ano que vem. Enquanto isso, eles se beijam _ acendendo uma chama de desejo que salta visivelmente de seus lábios.

? Os tempos mudaram ? Rajat disse. ? Nós somos diferentes.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna