Apague o cigarro de sua vida

Dicas, livros e métodos para parar de fumar

Queima calórica é de 500 a 600 calorias por hora
Queima calórica é de 500 a 600 calorias por hora Foto: Daniel Conzi

Ao acender um cigarro até 30 minutos depois de acordar, o fumante corre mais riscos de desenvolver câncer de pulmão do que aqueles que esperam um pouco mais para dar a primeira tragada. E isso independentemente da quantidade de cigarros consumidos ao longo do dia. A conclusão é de um estudo publicado pela Associação Norte-Americana para Pesquisas sobre Câncer, conduzido pela Faculdade de Medicina de Penn State, na Filadélfia.

A culpa é da cotinina, produzida quando a nicotina é quebrada pelo organismo, e intimamente ligada ao desenvolvimento do tumor. A pesquisa, liderada pelo professor de saúde pública Joshua E. Muscat, mostrou que, quanto mais cedo se acende o cigarro, mais cotinina é lançada no sangue.

– Não está claro por que os fumantes que tragam imediatamente depois de acordar têm níveis maiores da substância, mas talvez isso seja reflexo de um vício mais intenso. Teremos de estudar mais – disse Muscat.

O fato, porém, é que, depois de analisar exames de sangue de 252 fumantes que consumiam cerca de um maço de cigarro por dia, os pesquisadores constataram uma grande diferença nas taxas de cotinina entre os que começam cedo e os que só dão a primeira baforada meia hora depois de acordar. No primeiro grupo, a presença da substância no organismo é até 74% maior.

Quanto mais cedo acende o cigarro, maior dependência da nicotina e de seus subprodutos tem o fumante. Apesar de a quantidade de cigarros fumados por dia não afetar o nível de cotinina no sangue, Muscat constatou que aqueles que fumam até meia hora depois de acordar chegam a consumir até 70 unidades.

Já os que esperam passar 30 minutos, na média, fumam menos de 20 cigarros, o equivalente a um maço.

– As abordagens nos programas antitabagismo precisam ser diferentes para cada paciente. Os mais viciados vão requerer uma intervenção mais intensiva para ajudá-los a parar.

Escolha um método para parar
::: No Brasil, existem 24,6 milhões de fumantes, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Desses, 40% acendem o cigarro entre seis e 30 minutos depois de acordar, o que os deixa mais vulneráveis, de acordo com o estudo de Joshua E. Muscat, ao desenvolvimento de câncer de pulmão.

::: As estimativas do Instituto Nacional de Câncer (Inca) apontam que, em 2010, 28 mil novos casos desse tipo de tumor vão ocorrer no Brasil – a incidência tem aumentado 2% por ano.

::: Parada imediata: você marca uma data e nesse dia não fumará mais nenhum cigarro. Essa deve ser sempre sua primeira opção.

::: Parada gradual: você pode usar esse método de duas formas. Uma delas é reduzindo o número de cigarros: um fumante de 30 cigarros por dia, por exemplo, pode diminuir cinco cigarros a cada dia até parar completamente. A outra é retardando a hora do primeiro cigarro: a cada dia, a primeira baforada é adiada em duas horas, por exemplo, até chegar à data determinada para largar o cigarro.

Busque ajuda
::: Os médicos sugerem a procura por orientação para aumentar as chances de sucesso na tentativa de largar o cigarro:

::: Gomas de mascar ou adesivos de pele: fazem a reposição de nicotina e amenizam a vontade de fumar. Existem há mais de duas décadas.

::: Antidepressivos: remédios como o bupropiona amenizam os sintomas da crise de abstinência. Costumam ampliar as possibilidades de abandonar a dependência.

::: Vareniclina: diferentemente de outros métodos, debela o desejo de fumar que instiga a recaída. É uma solução que chegou recentemente ao mercado brasileiro.

Dicas de livros

::: Parar de fumar é possível
Especialista em antitabagismo Martin Raw ensina métodos para largar o vício. A obra é dividida em quatro partes, que abordam desde a decisão de largar o cigarro até medicamentos recomendados para amenizar as crises de abstinência. Os depoimentos de fumantes e ex-fumantes servem como guia para o leitor. Publifolha, 128 páginas, R$ 29,90.

::: Apague o cigarro de sua vida
Apresenta estratégias para vencer o hábito, além de abordar assuntos ligados ao tabagismo, como dependência psicológica, tratamentos e como lidar com situações associadas ao cigarro. A obra conta ainda com depoimentos de personalidades conhecidas que conseguiram largar o cigarro, como o médico Drauzio Varella. Alaude, 104 páginas, R$ 23,50.

Leia mais
Comente

Hot no Donna