Artigo: Os “estressados” também podem ser felizes e bem sucedidos

Existem dois tipos de "estressados": os funcionais e os disfuncionais

O mal-humorado é irritado, pessimista e dificilmente procura tratamento
O mal-humorado é irritado, pessimista e dificilmente procura tratamento Foto: Rajanish Kakade, ap

Antes de tudo, é bom explicar que há dois grandes grupos de “estressados”: os funcionais (produtivos) e os disfuncionais (destrutivos). Os dois grupos têm características em comum, como a impaciência, a ansiedade, e a hiperatividade. Entretanto, os funcionais usam esta energia para produzir resultados, pois são também exigentes, pontuais, dedicados e, principalmente, têm plena consciência que é muito difícil para as outras pessoas conviverem com alguém com tanta energia. Já os disfuncionais são egoístas, mimados, insensíveis e, se tiverem chance, usam o poder para se vingar dos que discordam deles.

Os estressados funcionais são pessoas que sentem prazer em enfrentar problemas, não conseguem relaxar e vivem atrás de novos desafios, pois a tensão criativa faz parte de seu dia a dia. Da mesma forma que existem pessoas que sentem prazer em relaxar, ou papear sem compromisso, os estressados têm uma necessidade quase patológica de arrumar o que fazer. É claro que isso causa efeitos colaterais como excesso de trabalho, dificuldade em se relacionar, riscos de acidentes e de, quase sempre, serem taxados de competitivos e insensíveis.

Pessoas assim podem ser muito mais bem sucedidas se entenderem que é possível aprimorar ainda mais essas qualidades como agilidade, determinação, inquietude e prontidão, aumentando ainda mais sua competência. Entretanto, cuidado. Ser competente não dá a ninguém o direito de se tornar grosseiro ou desrespeitoso. Isto é sinal de falta de educação, não de muito estresse.

Os estressados precisam entender que, simplesmente, a maioria das pessoas não consegue seguir o seu ritmo. Se você trabalha muito, pensa demais, possui níveis altos de exigência, está atento a tudo o que acontece ao seu redor, entrega ótimos resultados e ainda assim é criticado, talvez esteja trabalhando no lugar errado. Pense na hipótese de trabalhar sozinho ou procurar um lugar onde gente assim é muito bem vinda.

Não é certo ou errado ser estressado. Se você gosta de rapidez, desafios, e dinamismo, ótimo! Vá atrás de uma empresa que lhe ofereça muito trabalho, prazos curtos, metas difíceis e pague bem por isso. Lá deve estar cheio de pessoas como você. Se fizer isso, vai perceber que, ao contrário do que muitos afirmam, é possível ser uma pessoa estressada, e feliz!

* É consultor em gestão de pessoas e especialista em treinamentos e consultorias “in company”, com aplicações práticas da neurociência comportamental

Leia mais
Comente

Hot no Donna