As novas armas no front da beleza que chegam ao Brasil no segundo semestre

Confira os prós e contras dos tratamentos mais avançados para o corpo

VelaShape Plus (foto) causa menos desconforto no tratamento contra a celulite
VelaShape Plus (foto) causa menos desconforto no tratamento contra a celulite Foto: Agência O Globo

Se a indústria da beleza conseguisse reunir num único produto todos os sonhos de tratamentos estéticos das mulheres para o corpo e a face, ele teria que conter um método que eliminasse a celulite, outro que amenizasse os sinais do envelhecimento, um que queimasse as células de gordura do corpo e mais um que tratasse as estrias. Isso tudo sem fazer mal à saúde.

A combinação perfeita, seja em forma de creme, pílula, aparelho ou elixir, ainda está longe de ser inventada (trabalhem, cientistas, trabalhem!), mas já há novidades no horizonte para tratar separadamente dessas pequenas grandes imperfeições que atormentam o universo feminino. Algumas polêmicas, outras com maior aceitação entre os dermatologistas, elas estão chegando ao Brasil neste segundo semestre. Se funcionam, para quem servem, como agem e as contraindicações estão aqui destrinchadas por médicos, que pensam, antes de olhar para a beleza, em garantir a saúde.

COSMÉTICOS ELÉTRICOS ANTI-IDADE
Cremes que induzem pequenos choques na face, indolores e imperceptíveis, prometem rejuvenescer a pele, melhorar a flacidez, reduzir rugas e clarear manchas. O princípio é simples: gerar correntes elétricas, que já ocorrem naturalmente no nosso organismo, mas diminuem muito com a idade, para estimular a produção de colágeno.
– Através dos íons de cobre e zinco, o produto atua na bioeletricidade da pele, que, com o envelhecimento, sofre queda de 50% da sua atividade – diz a dermatologista Juliana Neiva.
– Parece interessante, mas a derme é sempre uma grande barreira. Temos que ver se essas correntes conseguirão chegar aos fibroblastos, onde é produzido o colágeno – ressalta a dermatologista Paula Bellotti. Para a coordenadora do Departamento de Cosmeatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Andrea Matheus Moreira, pacientes que já estão usando o creme estão felizes.

TOXINA BOTULÍNICA EM CREME
Já pensou ficar com a pele toda esticada, livre de marcas de expressão, pés de galinha e pequenas linhas ao redor dos lábios, sem precisar tomar injeções? Isso “talvez” seja possível por aqui em setembro, com o Revance. O “talvez” é porque os dermatologistas questionam se a toxina botulínica em creme terá o mesmo efeito da injetável, já que o caminho para atravessar a derme e chegar ao músculo é longo.
– Participei de palestras que mostravam que o produto não gera penetração muscular, necessária para se ter o mesmo efeito da toxina botulínica – ressalta Juliana Neiva. Andrea Mateus concorda:
– Um creme não consegue atingir os músculos. Acredito que o produto será eficaz para manter por mais tempo a eficácia das injeções, que costumam durar quatro meses.

COMFORT PULSE TECHNOLOGY
Versão mais moderna do Thermacool, o aparelho de radiofrequência para tratar a flacidez do rosto e do pescoço, eficaz contra as papadas e possível preventivo de estrias, podendo ser usado ao redor dos olhos, tem a vantagem de ser mais eficiente na emissão das ondas de calor, além de ter ponteiras mais sofisticadas, que emitem energia vibrando, o que causa menos dor.
– A dor é a principal queixa das pacientes – confirma Juliana. – Mas o Refirm, infravermelho com radiofrequência bipolar, é quase indolor e tem a mesma finalidade -acrescenta. – Através da vibração, os receptores tácteis são estimulados e, com isso, os receptores da dor são enganados – explica Andrea, que vê o preço como maior obstáculo: cada sessão, podendo ser de 6 em 6 meses, custa de R$ 4 mil a R$ 6 mil.

ZELTIQ
A dermatologista Paula Bellotti foi conferir de perto a técnica para destruir as células de gordura através do resfriamento profundo da pele (que chega a 4 graus Celsius) desenvolvida pelo dermatologista americano Richard Rox Andersen, numa palestra em Harvard. Criador do laser Fraxel Dual para as rugas, o cientista é, para Paula Bellotti, o papa das novidades na área de beleza.
– Antes, tentávamos destruir as células de gordura pelo aquecimento. Mas a gordura não é uma boa condutora de calor e seria preciso aquecer tanto a pele que ela ficaria queimada. Há a lipo a laser, que destroi a gordura pelo calor, mas é uma técnica invasiva. O Zeltiq não. Ele congela a gordura e ela vai sendo metabolizada pelo organismo. Só não foi liberado ainda porque o procedimento causa muita dor – explica Paula.
Segundo ela, para ocorrer a necrose da gordura, é preciso ficar em cada área do corpo por cerca de uma hora e meia. Não há risco para a saúde. Para a dermatologista Juliana Neiva, porém, o método não é visto como uma unanimidade, porque ainda há controvérsias se os efeitos são duradouros. O medo de Andrea Mateus Moreira diz respeito ao paradeiro da gordura:
– Será que ela não ficará acumulada no fígado?

SMOOTHSHAPE
(foto abaixo)

É o único laser para celulite – atenção, celulite não tem cura! Os outros métodos são à base de infravermelho e radiofrequência.
– É seguro e indolor. A técnica é a fotomologia, que combina as energias do laser de diodo, da luz e o sistema de vácuo de forma seletiva para liquefazer a gordura das células e reparar o colágeno fragilizado. O resultado é uma pele mais firme e com aparência lisa e suave – garante Paula Bellotti, que indica um total de oito sessões (duas vezes por semana, com preços entre R$ 300 e R$ 600 cada).
– O Smoothshape atua como uma importante drenagem linfática e pode ser útil para tratar a celulite com muitos edemas. Mudanças nos hábitos de vida, como ingerir menos sal, diminuir consumo de laticínios e fazer caminhadas também são importantes no tratamento da celulite – acrescenta Andrea.

VELASHAPE PLUS
Outro método para tratar a celulite, recomendado por Juliana Neiva, usa sistema de radiofrequência bipolar com infravermelho mais drenagem linfática e sucção. Esta combinação é chamada de tecnologia Elos (Electro Optical Synergy) e é uma revolução nos tratamentos estéticos.
– O Plus tem o dobro da potência do modelo anterior, com resultados rápidos. São necessárias oito sessões, duas vezes na semana – diz a dermatologista, que indica para coxas, glúteos e abdômen.
– Não é que vá curar a celulite, mas vai reduzi-la muito, do grau 4 para o 3, do 3 para o 2 e assim por diante.

FRAXEL DUAL
O aparelho a laser fracionado promove o rejuvenescimento facial.
– O laser fracionado é a grande revolução na área estética, porque não é ablativo, isso é, não causa vermelhidão, descamação, não tira o paciente da sua rotina. Combate rugas finas, melhora a flacidez da pele, clareia manchas e reduz vasinhos, tudo ao mesmo tempo – defende Paula Bellotti.
Andrea Mateus também vê o método com bons olhos.
– Num mesmo disparo, o laser fracionado afeta diferentes áreas da pele, atingindo tanto a superfície quanto sua camada mais profunda. Acaba acelerando a produção de colágeno novo e recuperando a pele de dentro para fora.
Para ela, o problema pode ser o preço de cada procedimento, já que a ponteira é consumível: dura um número limitado de sessões. Em alguns casos, são indicadas de duas a cinco sessões (cerca de R$ 1.500 cada), com intervalo de cerca de um mês entre elas.

ACUPULSE
Para Paula Bellotti, esse tratamento que chega em agosto ao Brasil é uma das maiores revoluções para eliminar os chamados “códigos de barra” da boca e para tratar a parte inferior dos olhos, área na qual cirurgião mais algum arrisca mexer.
– O tratamento é à base de gás carbônico fracionado ultrapulsado. Não tem os efeitos colaterais dos outros tratamentos à base de gás carbônico e é supereficaz – diz.

Leia mais
Comente

Hot no Donna