As piores dietas para emagrecer

Folhas verdes devem sempre fazer parte do cardápio feminino
Folhas verdes devem sempre fazer parte do cardápio feminino Foto: Divulgação, stock.xchng

Antes de escolher sua próxima dieta, fique atento. A Associação Dietética Americana (ADA) acaba de lançar uma lista com as piores dietas de todos os tempos. São aquelas que podem até provocar um emagrecimento rápido, mas também estimulam o efeito sanfona e detonam o metabolismo a longo prazo.

– Quem está acima do peso adora uma solução milagrosa, mas adotar dietas drásticas, de baixíssimas calorias, ou que excluem grupos alimentares como os carboidratos ou os laticínios não traz nenhum benefício a longo prazo e podem prejudicar a saúde – explica o endocrinologista Márcio Mancini, presidente do Departamento de Obesidade da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (Sbem).

Para ele, um emagrecimento saudável é de até um quilo por semana. Quem está muito acima do peso acaba emagrecendo mais. Já quem está próximo do peso ideal acaba perdendo menos.

– Além da sensação de cansaço ou de fraqueza, cortar muitos alimentos pode provocar uma reação do organismo, que vai fazer de tudo para o corpo não emagrecer – afirma Mancini.

O médico também não aconselha dietas como a da alimentação viva (na qual só alimentos crus são permitidos), a vegana (que exclui todo tipo de derivado de animal) ou a macrobiótica.

– Respeito quem segue estes tipos de plano, pois estão ligados a filosofias e escolhas de vida, mas elas não deixam de ser muito restritivas. Quem segue estas dietas deve ter sempre um acompanhamento médico para ter a certeza de que está combinando bem os alimentos e não está se privando de nenhum nutriente importante – completa.

As piores dietas, segundo a ADA:

Dietas de desintoxicação que excluem vários alimentos ou incentivam o consumo excessivo de outros – Cortar grupos alimentares sem a orientação de um especialista pode causar uma série de distúrbios como a anemia e a osteoporose. O exagero também não é nada bom. O consumo de mais de duas xícaras por dia de chá verde, por exemplo, não emagrece e ainda pode causar aftas, gastrite e até deficiência de ferro.

Dietas de grande restrição calórica – Para Mancini, estas dietas de fato emagrecem, mas são as principais culpadas pelo efeito sanfona. Além de deixar o metabolismo lento, causam fraqueza, dor de cabeça, tontura e enjoos.

Dietas que parecem muito boas para ser verdade – Dieta do cookie, do chocolate, da bala… Se a dieta parece fácil demais ou vai contra as indicações recomendadas por especialistas renomados, é melhor abrir o olho.

Mudanças que realmente funcionam

Segundo Márcio Mancini, não existe uma dieta perfeita. O plano alimentar deve se encaixar ao estilo de vida e às preferências alimentares da pessoa. As dicas abaixo são conhecidas, mas não deixam de ser eficazes:

– Escolha um plano flexível, que estimule a mudança de hábitos a longo prazo.

– Faça exercícios, caminhe mais ou troque o elevador pelas escadas. “A ideia é se mexer mais ao longo do dia, principalmente nos fins de semana”, diz Mancini.

– Privilegie as frutas, as verduras e os grãos integrais. Diminua o consumo de doces, álcool e gorduras.

– Entenda o motivo por trás dos excessos. Algumas deficiências vitamínicas ou de minerais causam compulsões alimentares, assim como certas doenças ou distúrbios psicológicos. Nestes casos, a ajuda do médico vale ouro.

– Não coma em pé, vendo televisão ou em frente ao computador.

– Não faça compras com fome e limite as idas ao bar ou ao restaurante. Pesquisas indicam que quem come fora ou com amigos acaba ingerindo mais calorias do quem tem o hábito de fazer as refeições em casa.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna