As sextas são de Fernanda Lima

Foto: Zé Paulo Cardeal, TV Globo

“Vai, com jeito vai, se não um dia a casa cai…”. Os versos da música de Emilinha Borba, que abrem o programa Amor & Sexo, apresentado pela gaúcha Fernanda Lima, bem que poderiam traduzir a maneira como a bela o apresenta. A atração estreou em 28 de agosto, com cinco edições garantidas. Agradou e ganhou mais cinco. No ar às sextas-feiras, na RBS TV, por volta das 23h30min, horário considerado ingrato pela emissora – que costuma exibir séries e especiais na faixa -, tem média de 17 pontos na audiência. Além de manter os números dos antecessores Decamerão e Som & Fúria, conquistou seu espaço na programação do próximo ano e, com a esticada, empurrou a estreia de séries como Ó Paí, Ó e Cinquentinhas, programadas para entrar no ar neste ano.

– Tenho de ir com jeito mesmo, pois a casa pode cair a qualquer momento. Eu me policio muito para não falar demais. Ao mesmo tempo, preciso preencher o vazio, pois, em televisão, o silêncio dá sono – afirma Fernanda, que diz não estar preocupada com a audiência. – Tenho de estar com alto-astral, energia e inspiração. Meu desempenho é determinante.

Se o programa caiu no gosto do público muito se deve mesmo à performance da apresentadora, com ar despojado, herdado dos tempos dos programas na MTV, como o Fica Comigo.

– Ela continua a mesma. Mas passou por programas consagrados da Globo, o que criou familiaridade com o público – pontua Elmo Francfort, especialista em TV.

– A MTV me deu cancha. A Rede TV!, onde apresentei por um ano um programa ao vivo, também. E não posso deixar de falar do Video Game, onde tive de assumir um lugar dominado pela competência da Angélica – diz Fernanda.

Somado ao tom que a apresentadora imprimiu, o formato da atração funcionou.

– O programa deu certo porque fala de sexo sem baixar o nível e aborda a sexualidade de diversas formas. Acho que é uma evolução do Sexolândia (extinto quadro do Domingão do Faustão). A atração é mais comedida do que os programas de sexo da MTV, por exemplo, que dirigem sua linguagem a um telespectador mais jovem – analisa.

Mas, e a presença maciça de artistas-celebridades da emissora, não ajuda a subir a audiência? O quadro Strip Quiz, por exemplo, leva estrelas do calibre de Juliana Paes e Claudia Raia para tirar uma peça de roupa fictícia enquanto respondem a perguntas supostamente picantes da apresentadora.

– Seria diferente (se não houvesse a presença deles). Haveria outros quadros e atrativos. Eu faria com a mesma vontade e buscaria o melhor – conta Fernanda.

Orgulhosa por comandar um programa de sexo para o grande público, ela arrisca dizer que houve um avanço em relação à época em que o projeto foi desenvolvido, há oito anos:

– Vejo hoje a televisão com propostas mais ousadas, testando a aceitação do público.

Ela observa ainda a importância de ter pessoas mais velhas na plateia.

– O sexo é para todos. Ter apenas jovens é uma forma implícita de dizer que apenas eles o praticam – pondera. – Além disso, damos inspiração para quem precisa de um empurrãozinho.

Apesar de só dar palpite no programa quando é solicitada a fazê-lo, a ex-modelo diz que, ao ter uma ideia em casa, corre para o computador.

– Mando SMS (mensagem de texto) para a minha turma. Às vezes, nós passamos a madrugada trocando figurinhas – revela.

– O resto ela resolve em frente às câmeras. Embora goste do estúdio, “onde tudo é mais controlado e não há chuva, vento, barulho de caminhão, moto ou furadeiras”, ela se realiza quando assiste às suas cenas nas ruas:

– Fico “cabreira’ de gravar (fora dos estúdios da Globo), mas, depois que vai ao ar, até prefiro.

Caiu no gosto

1999 – Apresentou o Mochilão MTV e, no mesmo ano, foi contratada pela Rede TV! para comandar o Interligado Games, voltado para os adolescentes, e o TV Escolha, sessão de filmes dominicais.

2000 – Voltou para a MTV, onde apresentou Luau MTV, Mochilão MTV e Fica Comigo, que estreou em outubro do mesmo ano.

2003 – Deixou a MTV e teve um namoro com a Band, mas não fechou com a emissora.

2004 – Foi contratada pela Globo para substituir Angélica, que saiu de licença-maternidade, no quadro Video Game, do Video Show.

2005 – Protagonizou a novela Bang Bang, na qual viveu a valente Diana.

2006 – Viveu a modelo maluca Maria Bo, uma das protagonistas de Pé na Jaca.

2007 – Apresentou o quadro Daqui pra Frente, no Fantástico, e os especiais Por Toda Minha Vida. Substituiu Angélica em nova licença-maternidade no Video Game.

2008 – Em abril, deu à luz os gêmeos João e Francisco, frutos de seu relacionamento com o ator e modelo Rodrigo Hilbert. Em outubro, voltou à ativa no Fantástico para apresentar o Menina Fantástica, um concurso de modelos, em que a vencedora foi outra gaúcha, Regina Krilow.

2009 – Começou a apresentar o programa Amor & Sexo, nas noites de sexta-feira.

Família tá com tudo

Tanta dedicação ao trabalho não atrapalha em nada a vida que a gaúcha, aos 32 anos, leva ao lado do marido, o ator Rodrigo Hilbert, e dos dois filhos, Francisco e João, gêmeos de um ano e cinco meses.

– Minha vida está em um momento que gostaria de eternizar. Consigo dar conta de tudo com alegria e, acredite, paz. Meus filhos são maravilhosos, e, quando estou com eles, não consigo fazer quase nada além de brincar, beijar e rir – diz. – Claro que conto com a ajuda de babás sensacionais, que me deixam tranquila quando estou fora de casa.

O tratamento quando sai de casa, aliás, mudou. Hoje, Fernanda é abordada por anônimos com mais intimidade. Mas não banca a sexóloga.

– Divirto-me com os comentários, mas ainda não virei consultório sentimental ambulante – fala.

Leia mais
Comente

Hot no Donna