Atenção dele é fundamental para o prazer feminino

Foto: Reprodução Roy Lichtenstein

Uma novidade na maneira como a medicina encara o sexo deve trazer alívio a muitas mulheres. Por um longo tempo, a ausência de desejo espontâneo ao se iniciar a relação sexual era considerada uma disfunção, um problema de saúde que precisaria ser enfrentado com tratamento específico e força de vontade. Agora, a história mudou.

A sexóloga canadense Rosemary Basson coordenou uma pesquisa comprovando que os primeiros momentos da relação não são determinantes para seu sucesso ou fracasso. A mulher pode até mesmo estar sem nenhuma vontade, mas com carícias, beijos e a conversa do parceiro, a situação tende a se inverter. Começa um ciclo de prazer que pode resultar no orgasmo.

Apesar de conceitual, o modo como as terapias sexuais enxergam a falta de libido inicial tem implicações práticas e diretas para o dia a dia do casal, como explica a psicóloga e terapeuta sexual Lúcia Pesca, coordenadora do Comitê de Sexualidade da Sociedade de Psicologia do Rio Grande do Sul.

– Muitas vezes, a mulher se sentia mal por não ter desejo nem vontade de começar uma relação. Isso afetava o lado psicológico e, em consequência, outras áreas da vida. Dentro e fora da cama – ressalta.

As mulheres entram em um ciclo vicioso. Sem a libido, ficam constrangidas ao fazer sexo. Sem a relação sexual, a libido diminui ainda mais, e o casal acaba se afastando naturalmente. Ao saber que a falta de vontade não é disfunção, o ciclo pode ser quebrado. Elas se sentem mais descontraídas, o problema deixa de assustar, e ambos podem retomar a satisfação perdida sem o peso do diagnóstico de uma disfunção.

Por outro lado, a descoberta destaca a importância do papel do parceiro na qualidade da vida sexual. De acordo com Gerson Lopes, sexólogo e ginecologista coordenador do projeto Sexo com Qualidade, da ONG S.A.B.E.R, o homem precisa entender o universo feminino para conseguir despertar o desejo dela – entenda-se aí a necessidade do diálogo, da conversa e da atenção. O ato sexual em si não é algo isolado, mas um componente que reflete o bem-estar da vida do casal como um todo.

– Vale ressaltar que a mulher também precisa compreender o parceiro. É comum que o homem tenha algum tipo de disfunção como impotência e ejaculação precoce. Para que volte a ter um bom desempenho, a parceira precisa deixá-lo à vontade e sempre apoiá-lo. Não pode, jamais, pressionar ou ironizar a situação. Esse comportamento piora ainda mais as coisas – explica Lopez.

Vontade espontânea

Segundo a pesquisadora Rosemary Basson, o desejo sexual da mulher é despertado naturalmente em três momentos:

> Durante a conquista do parceiro ou nos meses da paixão.
> Nos momentos de reconciliação.
> Ao longo do ciclo menstrual.

Leia mais
Comente

Hot no Donna