Atitudes no amor: qual é o seu perfil quando o assunto é relacionamento?

Conforme o livro "Attached", de Amir Levene e Rachel Heller, a maneira como agimos nos relacionamentos é pré-determinada pela nossa personalidade

Teoria é baseada na ideia de que somos biologicamente programados para encontrar o amor
Teoria é baseada na ideia de que somos biologicamente programados para encontrar o amor Foto: Divulgação

Já pensou por que você fica pegajoso quando começa a namorar ou por que seus relacionamentos não duram muito, por exemplo? O livro “Attached”, de Amir Levene e Rachel Heller, que será lançado na Inglaterra em junho tenta responder a estas perguntas.

Segundo o livro, a maneira como agimos nos relacionamentos é pré-determinada por quem somos, pela nossa personalidade: ansiosos, seguros ou esquivos e, a partir disso, poderíamos encontrar o par perfeito e fazer um relacionamento dar certo. Será?

A teoria é baseada na ideia de que somos biologicamente programados para encontrar o amor. Esta necessidade seria tão grande que o cérebro tem até um mecanismo chamado “attachment system” (algo como “sistema de ligação”), que consiste em emoções e comportamentos que nos protegem quando estamos perto de quem amamos. Ele explicaria por que uma criança chora sem parar quando está longe da mãe, por exemplo.

A maneira de demonstrar estes sentimentos, no entanto, difere. Pessoas seguras se sentem confortáveis com intimidade e geralmente são amorosas; já os ansiosos almejam intimidade, são preocupados com seus relacionamentos e tendem a temer sobre a capacidade de serem correspondidos pelos parceiros; e os esquivos acham que intimidade é o mesmo que perda de independência e mantém distância disso.

Pesquisas mostram que esquivos e ansiosos geralmente se atraem, o que é um inferno pois o ansioso tenta o tempo inteiro se aproximar enquanto o esquivo o coloca de lado, aumentando a ansiedade. E os dois tipos ficam bem com os seguros, que podem parecer meio chatos no início mas são a mina de ouro dos relacionamentos, porque dão amor e segurança mas deixam o parceiro sair livre pelo mundo.

Veja com qual perfil você se identifica mais:

:: Ansiosos

Você tem capacidade para intimidade, mas, em geral, teme que seu parceiro não deseje estar tão grudado quanto você. Relacionamentos consomem muita energia e você é sensível a pequenas flutuações de humor do seu parceiro, reagindo a tudo que ele faz como se fosse uma ofensa pessoal. Você não se incomoda se não estiver com ele sempre, mas quando sente que ele está se distanciando tende a expressar ansiedade ligando, mandando emails ou SMS. Quando ele retorna você o ignora e ameaça ir embora na esperança que ele a peça para ficar ou provoca ciúmes.

:: Esquivos

Para você é importante manter a independência, tanto que frequentemente prefere autonomia à intimidade. Você até quer ficar junto com alguém, mas fica incomodado (a) com muito grude e não gasta muita energia pensando se está sendo rejeitada. Seu parceiro frequentemente reclama que você está distante. Suas estratégias: diz que não está pronta para compromisso, mas está num relacionamento há anos. Você foca nos defeitos do seu parceiro, flerta com outros para introduzir insegurança na relação, não diz frequentemente “eu te amo”, firma relacionamentos impossíveis, com homens casados, por exemplo, e vai embora quando está dando tudo certo.

:: Seguros

Essas pessoas são amorosas, gostam de intimidade, dizem o que sentem e conseguem ler as pistas emocionais dos parceiros. Você divide sucessos e fracassos com o parceiro. Durante uma briga, não age na defensiva nem pune o parceiro e rapidamente faz as pazes. Expressa seus sentimentos sem fazer joguinhos, fica confortável com sexo e intimidade. Todos podem aprender com você, mas não significa que seu relacionamento seja perfeito.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna