Atraso, uma doença moderna

A tecnologia, alertam especialistas, está piorando o problema de quem não consegue chegar na hora aos compromissos

Os atrasos comprometem a imagem do profissional
Os atrasos comprometem a imagem do profissional Foto: Etna, Divulgação

O escritor Lewis Caroll teria de mudar um pouco a história de Alice, caso a tivesse escrito em 2010. Entre todas as maravilhas existentes no país comandado pela Rainha de Copas, claramente haveria celulares. Nesse caso, mesmo com o temor do atraso, o Coelho Branco teria enviado uma mensagem de texto justificando que, depois de entrar na toca, não demoraria a chegar ao compromisso e também não entraria em parafuso, pois teria a certeza de que avisou, antes da hora marcada, que iria se atrasar.

As justificativas para o atraso ainda são muitas e, muitas vezes, compreensíveis. Trânsito intenso, chefe que pede hora extra, fila no banco ou filho que demora demais na escola. Entretanto, com as facilidades de se comunicar, não há mais tanto constrangimento em ser reconhecido como atrasado. Isso porque o excesso de tarefas da vida moderna e o conforto trazido pela transmissão rápida da informação responderiam por aqueles minutos fora da hora certa.

E-mails, celulares, mensagens de texto e outros recursos tornam-se aliados essenciais para que algumas pessoas sintam-se menos culpadas pelo chá de cadeira que dão naqueles com quem marcaram um compromisso. Assim, 15 minutos tornam-se uma hora, acompanhada por contínuas ligações que garantem: chego daqui a outros 15 minutos.

? O atraso é uma doença moderna, como a obesidade e a depressão. Ela surgiu na sociedade da informação ? afirma Marcelo Knorich Zuffo, professor titular de sistemas eletrônicos da Universidade de São Paulo (USP) e pesquisador do laboratório de sistemas integráveis da escola Politécnica da mesma instituição.

Para o especialista, os diversos meios de se produzir informações reduzem o tempo de propagação das mesmas. Isso cria a impressão de que os compromissos que surgem ao longo do dia devem ser resolvidos imediatamente, em detrimento daqueles que estavam previamente marcados.

? As pessoas são estimuladas o tempo todo com vários sensores, principalmente os domínios visuais, auditivos e táteis, como o vibracall do celular. Com isso, elas vão absorvendo essas interrupções no cotidiano e não conseguem administrar o tempo.

POR QUE SER PONTUAL

A consultora Maria Aparecida Araújo é enfática: pontualidade é a cortesia dos reis e a obrigação dos educados.

? Existem aqueles que sentem verdadeiro prazer na falta de pontualidade. Pensam que isso os tornará mais poderosos. Interpretam que chegar antes do outro pode demonstrar ansiedade, excesso de meticulosidade, posição de desvantagem por esperar. Ignoram que essa atitude revela apenas uma falta de apreço e de respeito por outros ? diz.

A especialista destacou cinco motivos para que a pontualidade faça parte dos seu dia a dia.

1. QUALIDADE DE QUEM ALMEJA O SUCESSO
Ao respeitar os horários, você demonstra respeito com o outro. E, em tempos de concorrência acirrada, ninguém pode se dar ao luxo de perder pontos por motivos que podem ser evitados.

2. JUSTIFICATIVAS NÃO EVITAM CONSTRANGIMENTOS
Respeitar o tempo das pessoas é a marca dos bem-educados. A não ser que por motivos graves, uma ligação ou mensagem de texto não serão suficientes para garantir que seu atraso seja perdoado.

3. TEMPO É DINHEIRO
Nos negócios, atrasos vêm acompanhados da antipatia do chefe. O atraso numa reunião não permite que você conheça os participantes e o andamento do assunto. Assim, você fica em desvantagem e perde o poder da decisão.

4. SINÔNIMO DE COMPETÊNCIA
Ser reconhecido como pontual demonstra maior firmeza no cumprimento das obrigações e respeito aos prazos. Nenhum profissional deseja ser conhecido como não cumpridor de seus compromissos. Nesse caso, o prejuízo à carreira é imenso.

5. PONTUALIDADE É DISCIPLINA
Pessoas atrasadas podem se submeter a trabalhos de coach executivo, para desenvolver o hábito da pontualidade. Exercitar essa regra da boa educação traz benefícios e gera referência em qualidade.

QUE MAL HÁ NISSO??

O hábito de fazer as pessoas esperarem pode custar caro, especialmente quando o assunto envolve trabalho. Além de credibilidade, uma pessoa que não consegue começar o expediente na hora certa perde a chance de ser bem-visto pelo chefe, especialmente em uma entrevista de emprego. Para a consultora de etiqueta empresarial Maria Aparecida, ser pontual é uma qualidade imprescindível para todo profissional que deseja alcançar ou manter o sucesso.

Segundo a especialista, cada profissional tem de fazer da pontualidade algo intrínseco à sua competência pessoal. E salienta: ligações e mensagens de texto não diminuem o transtorno de fazer alguém esperar.

? A pontualidade demonstra o respeito que você tem pelo outro, como profissional e ser humano. Não pense que o fato de informar os outros pelo celular do seu atraso o torna aceitável e justicável ? orienta.

Para a consultora, respeitar o tempo dos outros é o cartão de visita dos bem-educados.

? Nenhuma desculpa ou justificativa atenua o mal-estar causado por um retardatário ? alerta.

Se o atraso para um encontro de amigos pode causar apenas piadinhas, o mesmo, em um almoço de negócios, pode significar perda de credibilidade. Maria Aparecida explica que, ao não respeitar o tempo alheio, o atrasado deixa de respeitá-lo também profissionalmente.

? Os atrasos comprometem a imagem do profissional, levando a avaliações negativas quanto ao seu caráter e competência. Isso, sem dúvida, prejudica a carreira de qualquer pessoa.

Leia mais
Comente

Hot no Donna