Atuação da atriz Deborah Secco provoca situações distintas no público

As pessoas tiveram reações diferentes ao verem o filme Bruna Surfistinha

Tese de mestrado da USP defende que garotas de programa sentem prazer com clientes
Tese de mestrado da USP defende que garotas de programa sentem prazer com clientes Foto: Divulgação

A atuação de Deborah Secco provoca reações distintas em quem assiste a Bruna Surfistinha, que estreou na última sexta-feira nos cinemas. Enquanto os homens arregalam os olhos com as dezenas de cenas picantes que ela protagoniza, a mãe, Silvia Secco, e a avó da atriz, Eulália, fecharam os olhos para não ver a personagem sofrer com uma cena de overdose de cocaína.

? É triste demais vê-la daquele jeito ? observa Deborah, que jura não ter preparado psicologicamente o marido, o jogador Roger, para evitar um ataque de ciúme:

? Ele ainda não viu o filme inteiro. Só não foi à estreia porque estava concentrado para jogar. Roger casou-se comigo sabendo que eu sou atriz e torce pela minha felicidade.

Segundo a atriz, o grande número de cenas de sexo do longa de Marcus Baldini serve para chocar.

? Não sei quantas relações sexuais há no filme, mas o excesso delas mostra como é dolorida a trajetória dela ? declara Deborah, que não espera ver a glamourização do ofício:

? É uma rotina árdua!

A história

O filme conta a trajetória de glórias e misérias da ex-prostituta que se tornou um fenômeno da internet e que já vendeu mais de 300 mil livros contando as suas experiências sexuais.

Orçado em R$ 6 milhões, Bruna Surfistinha chega aos cinemas brasileiros hoje com cerca de 350 cópias ? e com a expectativa de ser assistido por milhões de espectadores. Para os papéis secundários, um homogêneo elenco de bons atores, que inclui nomes como Cássio Gabus Mendes, Drica Moraes e Fabiula Nascimento.

O roteiro alterna as impressões da protagonista a respeito da prostituição com a narrativa do seu percurso: de adolescente desajustada na escola a celebridade nacional ? passando pelas brigas com os pais adotivos, as vivências como novata em um bordel, a ascensão a garota de programa de luxo, o enorme sucesso de seu blog, o inferno da dependência de cocaína, a decaída para o meretrício barato e a volta por cima ao largar a profissão.

Aprendizado

As diversas carreiras de cocaína que a personagem cheira e seu estado deplorável são, para Deborah, o mais pesado do filme. O tom real das cenas foi alcançado após o laboratório feito com o preparador de elenco Sergio Penna durante os três meses em que a atriz morou em São Paulo.

? Fomos à zona de prostituição da Estação da Luz (na capital paulista), onde conheci meninas que se prostituem por pedras de crack. Sentei e jantei com prostitutas no chão. Nunca sairá da minha memória o cheiro daquele lugar ? relembra a atriz, que ainda conheceu uma casa de prostituição simples e um clube privê de classe alta.

Leia mais
Comente

Hot no Donna