Bebês precisam de proteção redobrada sob o sol

Pequenos com menos de seis meses não podem usar protetor solar

Mesmo protegida, a pele do bebê pode sofrer efeitos indesejados dos raios solares e do calor
Mesmo protegida, a pele do bebê pode sofrer efeitos indesejados dos raios solares e do calor Foto: Paulo Franken

Primeiro veraneio significa cuidado redobrado. Por terem pele delicada, os bebês precisam da atenção e da paciência dos pais se forem expostos à praia.

Segundo a dermatologista e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) Maria Paula del Nero, os pequenos com menos de seis meses não podem usar protetor solar. Nesses casos, a dica é protegê-los com roupas, bonés e chapéus com bloqueador solar no tecido.

– A pele é sensível, e a criança pode ter alergia ao protetor – alerta.

Mesmo protegida, a pele pode sofrer efeitos indesejados dos raios solares e do calor. Maria Paula explica que reações alérgicas, como brotoejas (dermatites) são comuns nesta época do ano. Para driblar o problema, ela aconselha que os pais optem por roupas de algodão.

– Se a pele ficar avermelhada pelo sol, pode-se aplicar cremes à base de aloe vera e camomila, que diminuem a vermelhidão – ensina. Aplicar pasta d’água no local também ajuda a amenizar o desconforto.

Membro da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), Moisés Chencinski reforça: sol, só antes das 10h e depois das 16h. Independentemente de a criança ter entrado na água, o protetor deve ser reforçado a cada duas horas.

Ao voltar para casa, o pediatra recomenda que os pais deem banho no filho imediatamente, para limpar o suor e tirar resquícios do protetor solar da pele do bebê. Além da preocupação com o sol, os pais devem estar atentos aos acidentes domésticos comuns para a época do ano.

– As crianças não têm noção do perigo. Podem se perder ou se engasgar com algo que colocam na boca – explica a pediatra Débora Pontes.

O segredo para evitar esses e outros acidentes é manter a vigilância sempre, mesmo em ambientes específicos para os pequenos. Devido ao grande fluxo de crianças e à menor quantidade de água, a médica lembra que casos de conjuntivite e diarreia são comuns em bebês e crianças, uma vez que o acúmulo de germes (resultado da concentração de urina na água) é grande.

Pode ou não pode?

Sol, água do mar, areia e piscina são ótimas pedidas para o verão, mas podem não ser uma boa ideia para bebês. Veja algumas dicas:

:: Para bebês, o ideal é investir em bloqueadores específicos, que têm apenas o protetor físico na fórmula.

:: Roupas leves e ventiladas ajudam a evitar irritações na pele, como brotoejas. Se ainda assim as bolinhas insistirem em aparecer, um banho com água morna para fria regula a temperatura da criança e reduz o problema.

:: Lembre-se de que o efeito do sol é cumulativo, e deixar de protegê-los aumenta o risco de envelhecimento precoce da pele e do câncer de pele.

:: Não esqueça que acidentes acontecem. Tenha sempre o telefone e e-mail do pediatra para entrar em contato no caso de emergências. Também é bom conhecer o serviço médico do local.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna