Bodas do príncipe William e Kate Middleton aquecem a indústria de suvenires

Empresas chinesas já exportam para a Inglaterra milhares de cerâmicas alusivas à boda, marcada para 29 de abril de 2011

Mercado de cerâmicas está movimentado com a proximidade da boda real
Mercado de cerâmicas está movimentado com a proximidade da boda real Foto: AP

O noivado do Príncipe William e Kate Middleton fez com que as fábricas chinesas já se apressassem em produzir suvenires para marcar o grande evento: o casamento agendado para 29 de abril de 2011.A Asda foi a primeira empresa a cumprimentar o futuro casal real abarrotando suas prateleiras com uma caneca comemorativa no valor de 5 libras. Toalhas de chá, pratos, colheres e porta-chaves virão, inevitavelmente, a seguir.

A grande maioria desses produtos, porém, não terão valor algum. Isso é o que garante Eric Knowles, especialista em cerâmicas do programa Antiques Roadshow, da emissora BBC One, de Londres.

? Até hoje, o item que mais repercussão teve e que mais as pessoas nos trouxeram para avaliarmos foi a caneca produzida para celebrar a coroação de Edward VIII, em 1936 ? diz ele. ? As pessoas costumam acreditar que, por ele ter abdicado (Edward apaixonou-se por Wallis Simpson, uma americana recém-divorciada que não foi aceita pela Família Real), as canecas irão valer alguma coisa, mas elas foram produzidas em grande quantidade e custavam apenas alguns trocados.

Fergus Gambon, diretor da Bonhams ? leilão de cerâmicas britânicas ? diz que a grande maioria dos itens da realeza apresentados para avaliação valem quase nada. Ele explica que os compradores precisam esperar muitos anos, séculos às vezes, para terem o suvenir um pouco mais valorizado.

? Se você possui uma caneca alusiva à coroação da Rainha Vitória, em 1838, hoje ela poderá lhe render um bom dinheiro, algo em torno de 400 a 600 libras ? observa.

A casa Bonhams levará a leilão aquela que, provavelmente, é a peça mais valiosa no mercado da memorabilia real inglesa: um bule de chá Meissen decorado com um brasão de armas feito por Sophie of Hanover, mãe do Rei George I, datado de 1713. É considerada a mais antiga peça datável de porcelana da Meissen existente, e tem um valor estimado entre 200 e 300 mil libras.

Segundo especialistas, quem gosta de colecionar objetos da realeza deve evitar os suvenires e investir em peças que tenham sido usadas pelos nobres.

? Existe um serviço de jantar famoso que foi encomendado para ser usado na coroação de William IV. Infelizmente, a fábrica Rockingham, em Yorkshire, levou tanto tempo para produzi-lo que, quando foi entregue, o rei já estava morto. Os pratos deste serviço são muito colecionáveis e custariam entre 8 e 10 mil libras ? conta Fergus Gambon, diretor da Bonhams.

Não é um privilégio só do mercado das cerâmicas. Em 2008, uma calcinha da Rainha Vitória foi vendida por 4,5 mil libras em um leilão em Derby, superando todas as expectativas. O modesto pedaço de algodão monarca, monogramado com um pequeníssimo VR (de Vitória Regina), atraiu ofertas de lugares tão distantes como Brasil, Rússia, Hong Kong e Nova York. A calcinha de 1890 media127cm de cintura.

No mesmo leilão, uma camisa com um tamanho impressionante de 168 centímetros de busto foi acarretada por um colecionador londrino por 3,8 mil libras, enquanto uma das camisolas da Rainha Vitória foi vendida por 5,2 mil libras a um colecionador norte-americano.

Judith Miller, a mulher por trás do Guia de Antiguidades Miller (Miller’s Antique Guide), diz que o feio e o incomum vendem melhor do que os itens de compra mais usuais.

? Peças menos atrativas tendem a ser um pouco mais raras. Por exemplo, a caneca do divórcio em que Charles e Diana estão olhando em direção opostas. Elas vendem bem e, atualmente, podem valer de 20 a 50 libras, muito mais do que as convencionais.

Sharon Gater do Museu Wedgwood em Stoke-on-Trent, na Inglaterra, salienta que as novas técnicas de produção revolucionaram a produção de artigos comemorativos e, atualmente, é muito fácil tirar uma fotografia e imprimi-la instantaneamente em uma caneca ou em um prato. Para os fãs da realeza, porém, o que realmente importa não é o dinheiro. A casa da inglesa Margaret Tyler em Wembley, no norte de Londres, está lotada com 10 mil itens da realeza, desde pinturas e sacolas de plásticos até bules de chá e pratos comemorativos. Sua grande coleção está segurada em 40 mil libras. Ela não quer ver a cor desse dinheiro.

? Eu não acho que você deve fazer uma coleção para transformá-la em dinheiro.

Leia mais
Comente

Hot no Donna