Brasileiras estão entre as mulheres que mais recorrem a cirurgias plásticas

Tire suas dúvidas sobre os principais procedimentos de beleza

Mulheres são as que mais recorrem ao bisturi em busca do corpo perfeito
Mulheres são as que mais recorrem ao bisturi em busca do corpo perfeito Foto: Eduardo Carneiro

Começou a contagem regressiva para o verão. As academias estão lotadas de novos alunos que pretendem enxugar a silhueta antes de dezembro. Outros preferem ou necessitam de uma mudança mais radical e procuram o apoio na cirurgia plástica. Querem turbinar os seios com próteses de silicone, retirar gordurinhas localizadas, redesenhar o corpo com uma lipoaspiração ou simplesmente atenuar as rugas.

A busca pelo corpo perfeito coloca o Brasil como o terceiro país que mais realiza cirurgias plásticas no mundo. Na pesquisa realizada pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (Isaps), perdemos apenas para os Estados Unidos e para a China, que ocupam, respectivamente, o 1º e o 2º lugar. No panorama internacional, a lipoaspiração é o procedimento mais procurado, respondendo por 18,8% do total de intervenções. A colocação de próteses de silicone (17%) aparece na segunda posição, seguida pela correção nas pálpebras (13,5%), no nariz (9,4%) e na barriga (7,3%).

O caso brasileiro é um pouco diferente. Segundo um estudo do Instituto Brasileiro de Opinião Pública (Ibope), em 2009 foram realizadas 645,4 mil cirurgias estéticas, ou seja, 1,7 mil por dia. As mulheres representam 82% dessa demanda. No país, os implantes mamários são os mais procurados (19%), enquanto a lipoaspiração associada a outras cirurgias representa 17% dos procedimentos.

Apesar dos números superlativos, o ato de se submeter a uma cirurgia plástica exige certos cuidados. O primeiro passo é escolher um bom profissional.

? A cirurgia plástica tem risco como qualquer outra. Pode haver pequenos hematomas, abertura de cicatriz ou até infecção ou complicações maiores do ponto de vista clínico ? afirma Ognev Cosac, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBPC).

O médico Luiz Gonzaga, chefe do serviço de Cirurgia Plástica do Hospital Universitário de Brasília (HUB), recomenda que as operações sejam feitas em clínicas e hospitais bem aparelhados e com profissionais capacitados.

? O médico, para ser cirurgião plástico, tem que fazer seis anos de medicina, dois de medicina geral, três de cirurgia plástica e prestar uma prova para membro especialista da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica. Aí você está graduado ? alerta.

Segundo ele, a pessoa que deseja fazer uma cirurgia plástica, por mais simples que seja, precisa verificar se o profissional está habilitado.

? Deve ir ao consultório, esclarecer as suas dúvidas. É dever do cirurgião informar o paciente ? diz Gonzaga.

TIRA-DÚVIDAS

? O que diferencia erro médico, imperícia e complicações em uma cirurgia plástica?
? O erro médico é quando se caracteriza uma imperícia (falha na realização da técnica), uma imprudência (falta de cuidado) ou uma negligência (falta de atenção). As complicações e intercorrências são coisas previsíveis, relacionadas às interações orgânicas e fisiológicas do organismo do paciente com as ações cirúrgicas e /ou anestésicas.

? Cirurgias como a de nariz podem ser feitas em uma clínica?
? Sim. Tanto a cirurgia de nariz quanto a de face podem ser feitas em clínicas com muita segurança.

? Para realizar uma lipoaspiração, que tipo de informações preciso saber sobre o local onde será feita a cirurgia?
? Não só para lipoaspiração, mas também para qualquer cirurgia, é necessário que a clínica tenha alvará de funcionamento e com autorização de realizar cirurgias de médio porte. Também deverá possuir contrato com hospital de retaguarda, contrato de transporte com UTI móvel, convênio com laboratório e banco de sangue, além de equipe qualificada de anestesista. Um ponto muito importante: o cirurgião deverá ser habilitado em cirurgia plástica.

? Cirurgias mistas, como lipoaspiração e colocação de próteses de silicone, podem ser realizadas em clínicas?
? Sim. Dentro das novas normas, os procedimentos podem ser associados até duas cirurgias simultâneas. No caso de três ou mais cirurgias associadas, devem ser feitas apenas em hospitais com UTI.

? Há necessidades de cuidados pré-cirúrgicos? Quais são eles?
? O cirurgião plástico deve avaliar a indicação da cirurgia e os fatores de risco que o paciente apresenta. Deve também informar a pessoa sobre os riscos e as limitações dos procedimentos e pedir exames pré-operatórios. Entre outros cuidados, o médico precisa executar a documentação fotográfica do corpo do paciente para orientá-lo nas mudanças a serem feitas. Há ainda necessidade de um acordo entre as duas partes, com a assinatura de um termo de consentimento por quem será operado.

Fonte: Ognev Cosac, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia, e Luiz Gonzaga, chefe do serviço de cirurgia plástica do Hospital

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna