Capa da Vogue, Meryl Streep estrela cinebiografia de Margaret Tatcher

Atriz conta que recebeu convite para três papéis de bruxa

Meryl Streep: alto astral e carreira a mil aos 62 anos
Meryl Streep: alto astral e carreira a mil aos 62 anos Foto: Jonathan Short / AP

Ele poderia facilmente ser considerada uma das melhores atrizes do mundo nas últimas décadas, apesar de afirmar que sua carreira terminou 20 anos atrás. Do alto dos seus 62 anos, Meryl Streep estampa pela primeira vez a capa da revista Vogue americana e prepara-se para mais uma vez ser candidatíssima a todos os principais prêmios de interpretação do cinema por sua versão da primeira-ministra britânica Margaret Thatcher em A Dama de Ferro ? com estreia prevista para 13 de janeiro nos Estados Unidos e ainda sem data para chegar às telas brasileiras.

Na entrevista concedida à edição de janeiro de publicação, Meryl conta que lhe ofereceram nada menos do que três diferentes papéis de bruxa para interpretar depois de ter feito 40 anos. Levada a crer que as mulheres de sua idade eram “grotescas de alguma maneira”, a atriz disse ao marido:

? Está tudo acabado.

Brincando com o fato de ser a “pessoa de mais idade” a ocupar a capa da Vogue americana ? a atriz já estampara a versão francesa da revista, em maio de 2010 ?, Meryl foi clicada pela premiada Annie Leibovitz com um look que ela tornou sua característica pessoal: camisa e saia longa rodada. Em 2006, Meryl Streep obteve um de seus mais populares sucessos nos cinemas com o filme O Diabo Veste Prada, no qual interpretava a egocêntrica e esnobe Miranda Priestly ? uma versão ficcional da própria editora da Vogue, Anna Wintour.

Em A Dama de Ferro, a atriz encarna Margaret Thatcher dos 49 aos 85 anos, em um roteiro que busca mostrar a intimidade da ex-primeira-ministra britânica, focando nos sacrifícios feitos por ela em sua vida pessoal na busca pelo poder. Recordista de indicações aos Oscar de atuação (como atriz principal ou coadjuvante), com 16 papéis destacados pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, Meryl já levou a estatueta dourada para casa duas vezes ? melhor atriz por A Escolha de Sofia (1982) e melhor coadjuvante por Kramer vs. Kramer (1979).

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna