Carinho é mais importante na relação para os homens do que para as mulheres

Pesquisa norte-americana foi realizada com cerca de mil casais de meia idade

Entrevistados foram mais propensos a relatar satisfação sexual se também registram constantes gestos de carinho
Entrevistados foram mais propensos a relatar satisfação sexual se também registram constantes gestos de carinho Foto: Divulgação

Num resultado considerado surpreendente pelos autores de um estudo, o carinho numa relação duradoura é mais importante para os homens de meia idade do que para as mulheres. A pesquisa, realizada pela Universidade de Indiana, nos Estados Unidos, com cerca de mil casais, incluindo brasileiros, mostra que os homens comprometidos também são mais propensos a dizer estar felizes, enquanto as mulheres têm maior tendência a afirmar que estão satisfeitas com a vida sexual.

Beijos ou abraços frequentes estão relacionados à felicidade no relacionamento para os homens, mas não para as mulheres. Eles também têm mais facilidade em se sentirem felizes numa relação se estiverem bem de saúde e tiverem certeza de que suas parceiras atingem o orgasmo.

Mais de mil casais que estavam juntos em média há 25 anos foram questionados sobre suas vidas particulares por cientistas do Kinsey Institute, da Universidade de Indiana. Os casais pesquisados eram do Brasil, EUA, Alemanha, Japão e Espanha. Os homens e as mulheres que participaram do estudo tinham entre 40 e 70 anos de idade. O trabalho foi publicado na revista “Archives of Sexual Behavior”.

– É importante perceber que, embora as taxas de divórcio estejam altas nos Estados Unidos, os casais tendem a permanecer juntos – mais de 50% dos casais americanos estão em seus primeiros casamentos; esse número sobe para 90% na Espanha – afirma ao “Daily Mail” a pesquisadora que coordenou o estudo, Julia Heiman. – Essa pesquisa com casais heterossexuais oferece uma base para um trabalho futuro sobre sexo e gênero, sobre como casais homossexuais podem ou não mostrar similaridades e diferenças nos quesitos satisfação sexual e amorosa – declarou.

Tanto homens quanto mulheres são mais propensos a relatar satisfação sexual se também registram constantes gestos de carinho, carícias sexuais e maior frequência sexual. No caso deles, ter tido mais parceiras ao longo da vida está relacionado a uma menor satisfação na cama.

Quanto mais velhos, maior a felicidade com a relação relatada pelos homens, enquanto que, para as mulheres, é a satisfação sexual que aumenta com o tempo. Mulheres que estão com seus parceiros por menos de 15 anos são menos propensas a se dizer felizes com a vida sexual, mas depois de 15 anos, esse número aumenta significativamente.

– Provavelmente, as mulheres se tornam mais satisfeitas ao longo do tempo porque suas expectativas mudam, ou suas vidas mudam conforme os filhos crescem – disse Julia. – Percebemos que satisfação na relação e na cama podem não ser a mesma coisa para todos os casais, e em todas as culturas.

Leia mais
Comente

Hot no Donna