Carla Bruni pode apresentar denúncia por revelação de novo álbum

Primeira-dama ainda não tinha preparado versão definitiva de música

Dá para tentar programar o nascimento do bebê?
Dá para tentar programar o nascimento do bebê? Foto: Stock Photos

A primeira-dama da França, a cantora Carla Bruni, pode entrar com uma denúncia contra o site noticioso Midi Libre de que ela gravou uma adaptação em italiano da música “Douce France”, do cantor francês Charles Trenet, para lançar em seu próximo álbum.
  
? A primeira-dama estava preparando a versão definitiva para que os detentores dos direitos de Trenet dessem seu consentimento ? declarou a agente da cantora, Bertrand de Labbey, que alertou que “não será difícil identificar os autores deste descuido porque poucas pessoas possuíam o MP3”.
  
O site também disponibilizou um trecho de 50 segundos da versão italiana gravada por Bruni, o que seria uma “amostra” que teria sido “retirada ilegalmente”, afirmou Labbey. Segundo ela, a primeira-dama francesa ficou “muito desapontada” com a revelação do site.
  
A ideia de regravar “Dolce France” é recente, observa comitiva, e Bruni tinha gravado a primeira versão há apenas três ou quatro semanas em sua residência em Paris. A música tornou-se o hino da Resistência francesa durante a ocupação nazista.
  
? Carla decidiu adaptar esta música de forma espontânea, como fez no passado com Bob Dylan. É uma canção magnífica que fala de uma França que Carla gostaria que fosse indubitavelmente doce. E é uma das raras letras que pode ser adaptada, palavra por palavra, em italiano ? continuou a agente de Bruni.
  
Entre as 12 faixas do novo disco da cantora estava previsto uma música intitulada “França que protesta”, em referência aos recentes protestos contra a reforma da previdência proposta por seu esposo e presidente francês, Nicolas Sarkozy. Na canção, ela satiriza os franceses, como se as manifestações de rua fossem para eles uma obsessão. Porém, ela eliminou a música porque ela “não era boa”.
  
O quarto e novo álbum da primeira-dama foi realizado pela produtora Benedicte Schmitt — estreita colaboradora de Dominique Blanc-Francard, que produziu o disco anterior de Bruni — e será lançado durante a próxima campanha presidencial, que ocorrerá em 2012. Por isso, ela não fará turnês nem promoções para evitar eventuais polêmicas e não ser “explorada”.

? A pressão crescerá nesse momento ? explicou a cantora.
  
No entanto, ela não exclui realizar show fora de seu país. Pose ser “como se Michelle Obama viesse se apresentar em um espetáculo de teatro na França”, brincou a primeira-dama.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna