Celebridade virtual defende busca pela boa forma sem abrir mão de pizza e doces

Conhecida como Hungry Girl, americana vira referência feminina com suas dicas

Lisa alerta em seu site que não é nutricionista
Lisa alerta em seu site que não é nutricionista Foto: Divulgação, H-G

Lisa Lillien, 44 anos, a deusa da perda de peso na internet, também conhecida como Hungry Girl (“Garota Faminta”, em português), usa unhas francesinha e chapinha brasileira no cabelo. Mas seu paladar é americano até a raiz, como mostra sua fraqueza assumida por um prato do restaurante Planet Hollywood.

– Aposto que comi mais frango Cap’n Crunch nos anos 90 do que qualquer outra pessoa – disse.

Quase um milhão de pessoas assinam a newsletter digital diária de Lisa (http://www.hungry-girl.com), o que a coloca entre as figuras mais influentes do mundo da dieta. Suas mensagens, permeadas de pontos de exclamação e siglas típicas de bate-papos, combinam conselhos sobre como consumir o mínimo de calorias possível sem abdicar de pizzas e pudins.

Lisa descreve-se como uma pessoa que não cozinha, mas seus dois últimos livros de receitas debutaram no topo do ranking de best sellers do “New York Times”. Atlética – embora não magrela -, baixa e de cabelos negros, ela se parece com milhares de outras mulheres, não fossem os seus bíceps (fruto de aulas com um personal trainer) e os mais de 200 mil fãs no Facebook.

À frente de um staff de 12 assessores, a Hungry Girl virou símbolo de uma indústria virtual de desenvolvimento de receitas, cuja missão é criar produtos que entreguem o melhor sabor com o menor número de calorias. Sua editora, a St. Martin’s Press, concordou recentemente em pagar adiantado mais de US$ 10 milhões por seus próximos oito livros.

A autora segue um tour para divulgar sua nova obra, “Hungry Girl Happy Hour”, com receitas de coquetéis diets e aperitivos. A produção de seu programa de TV também já começou a se reunir. Lisa entra no ar daqui a cerca de dois meses, no Cooking Channel.

Lisa tem sido criticada por defender um caminho supostamente escorregadio para quem quer perder peso, que é a adoção de alimentos de valor nutricional duvidoso. Ela se defende afirmando que as receitas refletem a realidade do que as muitas americanas comem – e alguns desses produtos provocam ojeriza nos nutricionistas.

Embora garanta encorajar uma dieta consciente, Hungry Girl passa ao largo de assuntos como emissões de carbono e gordura saturada. Lisa quer saber apenas de duas coisas: como é o sabor e a quantidade que dá para comer.

A internet é progressivamente povoada por entusiastas de Lisa, que tentam fazer a perda de peso soar tão divertida como a terceira rodada de mojitos em uma despedida de solteira.

– Ela não faz pregações nem deixa ninguém para baixo, e, acredite, nem sempre mulheres do meu tamanho costumam ser tratadas assim – disse a recepcionista Stephanie Brown, que foi recentemente à festa de lançamento de um livro da Hungry Girl em Nova York, e ouviu de Lisa que precisa perder, pelo menos, 40 quilos para atingir um peso saudável.

Leia mais
Comente

Hot no Donna