Chegada do outono não é motivo para descuidar do protetor solar

Cuidado com a pele deve ser observado em todas as estações

Duas doses de juventude
Duas doses de juventude Foto: Reprodução, iStock

Você sabia que atualmente 68,5% da população não utiliza protetor solar diariamente? De 2 a 3 milhões de novos casos de câncer não-melanoma aparecerem anualmente no mundo, sendo que no Brasil esse número chega a 110 mil novos casos não-melonoma e 5 mil melanomas por ano, de acordo com a OMS a morte por câncer é a de maior incidência no mundo

A luz solar faz bem ao nosso corpo proporcionando bem-estar e contribuindo para a formação da vitamina D, fundamental para os ossos. No entanto, a população necessita se proteger adequadamente dos seus efeitos nocivos antes de se expor à essa radiação, principalmente para prevenir o câncer de pele. Os efeitos da radiação UV são cumulativos e a indústria cosmética tem apresentado soluções cada vez mais inovadoras trazendo uma nova geração de protetores solares específicos para cada tipo de pele e necessidades.

No campo ou na praia, a pele fica diariamente exposta à luz solar. As radiações ultravioletas, especialmente as UVB, são as mais danosas à pele podendo desorganizar o ADN celular, atacar as fibras da pele e causar diversos efeitos ao sistema imunológico. Em conseqüência disso, temos o envelhecimento precoce da pele, manchas irreversíveis, queimaduras e cada vez mais o aumento de casos de câncer de pele.

Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer), embora o câncer de pele seja o tipo de câncer mais freqüente, correspondendo a cerca de 25% de todos os tumores malignos registrados no Brasil, quando detectado precocemente este tipo de câncer apresenta altos percentuais de cura.

Para que as pessoas pudessem aproveitar os dias de sol para realizar atividades esportivas ao ar livre ou curtir uma praia sem riscos à saúde, foi desenvolvido o protetor solar em formulação cosmética que trata-se de um forte aliado para amenizar os efeitos nocivos à pele. Porém, a população ainda utiliza de maneira inadequada esse produto, seja aplicando somente após iniciar a exposição ao sol e às vezes em quantidade insuficiente.

As pessoas aplicam o produto nos braços, ombros, costas e rosto, mas se esquecem de passar nas pernas, orelhas e pés. Os carecas também têm que aplicar nas regiões desprovidas de pelos para aumentar a eficácia da aplicação. Mas a fotoproteção não se restringe aos finais de semana na praia: os profissionais que trabalham ao ar livre também precisam estar atentos à utilização frequente do protetor solar.

Para se proteger adequadamente, é necessário escolher protetores solares que bloqueiem os raios UVB e UVA observando o Fator de Proteção Solar: quanto maior o FPS maior será a proteção oferecida pelo produto contra os raios ultravioletas. Outros procedimentos devem ser adotados para uma exposição ainda mais segura ao sol: utilizar o protetor solar 30 minutos antes da exposição direta ao sol ou à luz artificial, reaplicá-lo a cada duas horas, não descuidar da alimentação equilibrada pois, alimentos ricos em vitaminas A e D melhoram o aspecto da pele e intensificam naturalmente o bronzeado.

Se você quer curtir o sol e mostrar um bronzeado saudável, deve considerar no seu cardápio frutas e vegetais como cenoura, mamão, manga, melão, abóbora, laranja e as folhas verdes, como salsa, repolho, couve, espinafre e agrião, ricos em betacaroteno, nutriente que se transforma em vitamina A no organismo e protege as células dos danos solares e por fim abusar de outro hábito saudável, a ingestão de líquidos em forma de água ou sucos que ajudaram no bom funcionamento do metabolismo celular de todo corpo.

Atualmente os protetores solares representam 2% do mercado mundial de produtos cosméticos e por volta de 7% do mercado brasileiro, representando em números absolutos 6 Bilhões e 400 milhões de dólares, respectivamente. Apesar dos pequenos índices, o segmento promete crescer 23% no mundo e 63% no Brasil, nos próximos cinco anos. (fonte: Euromonitor)

Leia mais
Comente

Hot no Donna