Chocolate para quem não pode comer chocolate

Delícias criadas para diabéticos e pessoas que tem intolerância alimentar permitem uma Páscoa com chocolate

Foto: Jessé Giotti

Quem tem intolerância alimentar ou sofre de diabetes não precisa passar longe dos chocolates da Páscoa. Se antes as indústrias investiam apenas na diferenciação entre normal e diet, hoje existe uma gama maior de doces adaptados a condições de saúde.

– Há muito tempo a indústria já produz ovos diet, que são a opção recomendada para os diabéticos, por exemplo. No entanto, recomenda-se consumo moderado, uma vez que eles não são mais saudáveis por não conterem adição de açúcar. São ainda mais gordurosos, o que os torna mais calóricos”, alerta a endocrinologista Karina de Ferran.

Já quem tem intolerância ao glúten não deve ingerir trigo, cevada, centeio, aveia ou seus derivados, pois o glúten neles presente resulta em resposta imunológica em pessoas suscetíveis, que leva à lesão da mucosa intestinal. Nesse caso, a alfarroba, espécie de vagem que, triturada e torrada, produz farinha capaz de substituir vários componentes do chocolate, como ovos, leite, glúten, açúcar e até mesmo o cacau, sendo uma opção válida. A planta não possui glúten em sua composição e permite a produção de chocolates livres de lactose e de soja, além de prometer ter menor teor de calorias e gorduras.

Para quem sofre de intolerância à lactose, o açúcar presente no leite, a dica são os chocolates amargos, que contêm 70% de cacau e que possuem menos leite em sua composição.

Leia mais
Comente

Hot no Donna