Cientistas “criam” chocolate que não derrete e com baixas calorias

Consumo de chocolate deve ter moderação
Consumo de chocolate deve ter moderação Foto: divulgação sxc.hu

Temos nos deliciado com ele nas mais diversas formas há pelo menos 3 mil anos, discutindo sua influência em tudo, desde nosso apetite sexual até o tamanho de nossas cinturas.

Mas, agora, cientistas da maior fábrica de chocolate do mundo acreditam ter encontrado o santo gral do chocolate: uma receita que ao mesmo tempo não derrete e tem baixas calorias.

“Vulcano” (ou vulcão, em português) é o nome pelo qual está sendo chamado o novo produto internamente na fábrica suíça de chocolates Barry Callebaut. Desenvolvido em laboratório em circunstâncias ultrassecretas por uma equipe internacional de engenheiros de alimentos, o chocolate não apenas tem 90% menos calorias do que o produto comum, como também é resistente ao calor de temperaturas de até 55°C – a maioria dos chocolates já começa a derreter a 30°C.

A empresa pretende atingir os mercados europeu e americano, preocupados em relação às calorias, assim como os mercados emeregentes na Ásia e na África, onde as temperaturas locais sempre foram um empecilho à expansão do chocolate.

– Chamamos de Vulcano porque podew ser consumido no calor, e é aerado e cheio de bolhinhas, como rochas vulcânicas – explicou Gaby Tschofen, porta-voz da Barry Callebaut, que anualmente produz 1,1m toneladas de produtos à base de cacau e chocolate para consumidores do mundo inteiro.

O produto, como tantas outras boas invenções, originou-se em um erro, desta vez por parte de técnicos do laboratório da empresa que trabalhavam em outra invenção.

– De repente nos demos conta de que havíamos produzido um chocolate muito especial, de consistência crocante e leve, como uma espuma aerada, e quisemos ver se conseguiríamos desenvolvê-lo mais a fundo – afirmou a engenheira de alimentos Simone Cantz à televisão suíça.

De acordo com os planos atuais, o produto pode estar disponível em uma loja perto de você dentro de dois anos, o que significaria um fim à meleca de ter um chocolate derretido no bolso num dia quente ou às preocupações em relação ao tamanho da sua cintura.

Enquanto chocolateiros têm tentado produzir chocolates de baixa caloria há anos, o obstáculo sempre foi como garantir a permanência do gosto e o prazer de quem o consome. A fabricante americana Hershey começou a experimentar rumo a um chocolate à prova de derretimento durante a Segunda Guerra, mas o resultado foi uma barra extremamente dura que nunca chegou a ser produzida comercialmente.

Tschofen afirmou não poder divulgar a receita do Vulcano, mas disse tê-lo experimentado.

– É bom e “chocolatoso”, com um aroma rico, e mais crocante em vez de cremoso. Derrete na boca, mas são as enzimas da saliva, e não o calor da língua, que fazem-no dissolver.

Leia mais
Comente

Hot no Donna