Cientistas identificam sinais genéticos da longevidade

Mil pessoas com mais de 100 anos foram estudadas

Idosos que vivem além dos 100 anos têm características genéticas em comum
Idosos que vivem além dos 100 anos têm características genéticas em comum Foto: Genaro Joner

Cientistas identificaram um conjunto de variações genéticas que permitem prever com 77% de sucesso se uma pessoa tem chances de viver mais de 100 anos, segundo estudos publicados esta quinta-feira.

Depois de analisar o genoma de mais de mil pessoas com cem anos ou mais, médicos e estatísticos descobriram 150 características genéticas particularmente frequentes nas pessoas que têm uma longevidade excepcional em comparação com o resto da população.

Os centenários são um exemplo ideal de envelhecimento, pois desenvolvem doenças relacionadas com a idade, como câncer, problemas cardiovasculares e demência muito depois dos 90 anos, destacaram os autores desta pesquisa que será publicada na edição de sexta-feira da revista Science.

A equipe de cientistas conseguiu isolar 19 características genéticas específicas relacionadas à longevidade excepcional que caracterizam 90% dos centenários examinados.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna