Como a artrite, o terror das mulheres, impacta na vida social

Estudo revelou que a doença faz a paciente se sentir "isolada" ou "deslocada"

A carioca Fluvia faz sucesso no Exterior posando para tamanhos grandes
A carioca Fluvia faz sucesso no Exterior posando para tamanhos grandes Foto: Elisa Parker, Divulgação

Quase três quartos das mulheres com artrite reumatoide sofrem dores diariamente, de acordo com um estudo apresentado na semana passada durante o Congresso Europeu da Liga Contra Reumatismo, que ocorreu em Roma, na Itália. Os dados, coletados em sete países (Inglaterra, França, Alemanha, Itália, Espanha, Estados Unidos e Canadá), também sugerem que a doença incomoda tanto as pacientes que chega a impactar negativamente em aspectos sociais e emocionais.

As entrevistadas ? 1.958 mulheres com idades entre 25 e 65 anos ? disseram que se sentem isoladas e deslocadas na vida social, sendo que 40% afirmaram que é mais difícil para as portadoras da doença encontrar um parceiro. As 22% divorciadas ou separadas que participaram do estudo disseram que a artrite reumatoide foi uma causa importante na decisão de se afastarem dos parceiros, e 68% confessaram que escondem a dor das pessoas próximas. A pesquisa também indicou que 67% das pacientes estão constantemente procurando novos tratamentos para lidar com a dor.

– Os dados confirmam que a dor é uma questão de suma importância para mulheres com artrite reumatoide, afetando, fundamentalmente, suas emoções. O estudo lança luz sobre a complexidade de se lidar com a atrite reumatoide e com as dores associadas, mais do que simplesmente controlar os sintomas básicos – afirmou o professor Paul Emery, presidente do congresso.

– A adoção de um padrão de tratamento para reduzir a dor, evitar a queda da produtividade no trabalho e lidar com o impacto social da doença é muito importante para essa população – prosseguiu Emery.

A pesquisa também explorou os impactos negativos da artirte reumatoide no mercado de trabalho. Setenta e um por cento das participantes que estavam trabalhando na época em que responderam o questionário disseram que produziam menos por causa da doença.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna