Como garantir férias divertidas com a família do amigo

Participar da intimidade alheia pode ser uma tarefa complicada para as crianças

Eduarda (de laranja) e Luisa (de rosa) passam parte das férias na casa de Karen mãe de Luisa (de branco)
Eduarda (de laranja) e Luisa (de rosa) passam parte das férias na casa de Karen mãe de Luisa (de branco) Foto: Diego Vara

O Gregório e o Pedro são colegas de colégio, inseparáveis o ano inteiro. Não seria logo nas férias que a dupla ficaria distante, não é? É por isso que Carla Tedesco e Elizeu Brum Júnior, pais de Pedro, incluem Greg em seu pacote de verão.

Já a casa de praia de Karen Paes Vieira, em Atlântida, serve como quartel-general de reencontro da filha Luisa com as amigas Eduarda e Luisa, ex-colegas de escola.

Administrar a rotina de uma criança que não faz parte da sua família é tarefa delicada. Mandar o filho passar férias em uma casa estranha também não é a questão mais tranquila do mundo, por mais intimidade que exista entre as famílias.

– Fico feliz que a função toda seja na minha casa. Este ano troquei o apartamento por uma casa em um condomínio para acomodar todo mundo melhor – conta Karen, que, além de Luisa, de 12 anos, é mãe de Felipe, de 18. O primogênito volta e meia também aparece com algum amigo para veranear.

Toda a disposição para receber crianças em plenas férias é consciente. E tem restrições, alerta Karen, que é pedagoga e coordena uma assessoria de eventos.

– Uma vez o Felipe trouxe dois amigos. Um baladeiro, que chegava das festas às 5h, e outro surfista, que acordava às 7h. A casa funcionava durante as 24 horas do dia. Tive que organizar a bagunça estipulando regras, principalmente para o horário das refeições – lembra.

A consultora de moda Carla leva Gregório pela segunda vez para dividir as férias com seu filho Pedro em Garopaba, Santa Catarina. A primeira foi há dois anos, quando o pequeno hóspede tinha 9. Em princípio, Gregório ficaria uma semana. Mas completou a temporada e venceu os 21 dias de veraneio com a família Tedesco Brum, faceiro da vida.

Mas, vem cá Greg, não bateu nenhuma saudadezinha do pai e da mãe?

– A gente se ligava ou trocava torpedos todas as noites, e eu não sentia falta. Acho legal mudar, é sempre divertido. A rotina deles é muito parecida com a da minha casa. Nem me assustei muito com a diferença – explica o guri, que este ano já foi disposto a ficar os 20 dias completos da programação.

– Acho uma troca muito rica, saudável. O meu filho arruma a cama, lava a louça, coisas que em casa ele nem sempre faz – entrega a mãe de Greg, a assessora parlamentar Stela Severgnini de Queiroz.

Stela também lembra que a convivência das crianças em Porto Alegre e a intimidade de Gregório com a família de Pedro é indispensável para que a temporada na praia seja serena. Ela sabe que os pais de Pedro são organizados, que dirigem com cautela, que estimulam frutas e verduras nas refeições.

– Sem falar que eu conheço muito bem o meu filho. Ele é maduro e tem facilidade de se relacionar socialmente. Para uma criança tímida pode ser mais difícil – observa.

Depois de conversar com Carla, com Stela e com o próprio Greg, uma característica ficou clara nessa troca de experiências: a disposição do patriarca Elizeu em fazer parte da rotina dos meninos, que inclui partidas de futvôlei, jogos de taco, de cartas, praia, piscina.

Em Atlântida, na casa dos Paes Vieira, o pai também tem funções essenciais na divisão de tarefas com os jovens hóspedes, principalmente em frente à churrasqueira. – O Pedro é responsável pelos churrascos. Já a cozinha é de todos. As amiguinhas da Luisa adoram cozinhar. Bolo, pipoca e negrinho são os pratos do cardápio que mais saem – conta Karen.

Segundo ela, são desses momentos que saem os melhores bate-papos entre elas. Para Karen, reunir a turma toda em casa é ótimo para acompanhar de pertinho o desenvolvimento deles e para uma maior aproximação, mas sem nunca deixar de lado o papel de mãe. Tanto que hospeda essa gurizada há mais de oito anos.

Ao que tudo indica, Carla, a mãe de Pedro que está com Gregório em Garopaba, está indo para o mesmo caminho. A partir dessa semana, a singela dupla de amigos ganha reforços de peso, e devem chegar mais dois colegas para engrossar a bagunça, Francisco e André. Ainda assim, nada parece abalar a quietude de Carla.

– A nossa rotina não muda em absolutamente nada. É apenas mais um para passar protetor solar – diverte-se. No caso, a partir de agora, mais três.

Leia mais
Comente

Hot no Donna