Como os pais podem aproveitar com os filhos as férias das escolas em julho

Não é preciso ocupar as crianças o tempo todo com atividades externas

Brincadeiras simples realizadas dentro de casa também podem ser divertidas
Brincadeiras simples realizadas dentro de casa também podem ser divertidas Foto: Jessé Giotti

Um curto, mas muito aguardado recesso. Assim são as férias de julho, em contraste com as longas e ensolaradas férias de verão. Descanso de inverno é importante para que os alunos descansem e se preparem para o segundo semestre letivo. Esse período pode se transformar em bons dias de folga para filhos e pais aproveitarem juntos.

O ideal é conciliar as férias escolares com descanso no trabalho. Claro que isso nem sempre é possível, e, nesses casos, a solução pode ser uma força-tarefa que envolva avós, tios e famílias de amiguinhos que ajude a tornar o intervalo mais proveitoso. Se férias de pais e filhos coincidem, é hora de planejar muitos passeios e brincadeiras.

O recesso é rápido – costuma variar de uma a duas semanas. Organizar bem o tempo é fundamental para que os dias não passem despercebidos e as crianças não acabem se sentindo frustradas. O principal é que os pais percebam essa quebra na rotina como uma oportunidade de ficar mais tempo com os filhos. O desafio de programar as atividades em família, porém, não deve ficar apenas nas mãos dos adultos.

– A criança deve ter uma participação ativa na gestão do seu tempo. Os pais devem apenas ajudá-los, deixando que proponham programas e atividades. Esse “pensar junto” é contributivo, e eles podem aprender muito com isso – explica Tânia Fontoura, professora de Psicologia da Faculdade de Educação da UFRGS.

Antes de começar a fazer uma lista imensa de programação, Tânia explica que é preciso entender algumas características dessas férias no frio. O inverno acaba, naturalmente, favorecendo o convívio dentro de casa e, muitas vezes, pede a tomada de um ritmo mais lento. Como afirma Tânia:

– Trata-se de férias indoor. Os pais não precisam pensar que têm de ocupar todo o tempo. Em alguns momentos, é bom que as crianças possam gerir horas completamente livres. Nessas férias mais curtas, cabe ter um dia para ficar em casa, aproveitando para dormir até mais tarde e olhar televisão, por exemplo.

Algumas dicas de programas

Cultura e entretenimento
Os dias livres são ótimos para uma programação cultural com as crianças. Nessa época, os cinemas apostam em desenhos e filmes infantis, como os grandes sucessos de bilheteria Toy Story 3 e Shrek Para Sempre, além de produções alternativas, como O Pequeno Nicolau e Ponyo – Uma Amizade Que Veio do Mar. Vale também conferir espetáculos teatrais e visitar livrarias e bibliotecas.

– Os pais podem ir com os filhos comprar livrinhos, por exemplo, para estimular o hábito da leitura. Mesmo que eles não estejam estudando, é importante manter contato com a literatura nas férias – explica a psicopedagoga Clarissa de Paz Menezes.

Piquenique
Para as tardes ensolaradas, a dica é organizar piqueniques em parques, como a Redenção, ou no Jardim Botânico. A ideia é aproveitar o programa ao ar livre para brincadeiras que exijam mais espaço. Vale jogar bola, andar de bicicleta, empinar pipa e até levar o cachorro junto para passear.

Passeio de barco
Diariamente são oferecidos passeios de barco pelo Guaíba com saídas na Usina do Gasômetro. A um preço acessível, é possível fazer um programa diferente e conhecer as ilhas do lago.

Conhecer a cidade
Com a correria do dia a dia, muitas vezes se deixa de visitar uma série de lugares bacanas da cidade. O Museu de Ciências e Tecnologia da PUCRS, o Jardim Botânico, o Parque Zoológico de Sapucaia e o Planetário misturam diversão e conhecimento e são uma boa pedida na hora de planejar programas diferentes com as crianças.

Organizar o quarto
Até os seis anos, conservar os objetos das crianças bem organizados colabora para que elas se sintam seguras em relação à estrutura do lar. Uma atividade que promete unir o útil ao agradável é convidar os filhos a participar desse processo.
– Muitas vezes os pais pensam que as crianças não se interessam em arrumar suas coisas, mas na verdade elas curtem isso – explica Tânia Fortuna.
Além de organizar brinquedos, livros e trabalhos da escola, a ideia é aproveitar o momento para brincar e conversar.

Inventar brinquedos novos
Guardando o lixo seco durante dois ou três dias já é possível inventar uma infinidade de brinquedos. A reciclagem de latas, potes e tampinhas em uma atividade lúdica incentiva a imaginação das crianças.
– Para elas, é uma experiência bárbara poder fazer algo com as próprias mãos, mesmo que esse brinquedo seja menos atraente se comparado com os critérios comerciais que temos atualmente – conta Tânia.

Festa do pijama
Quer programa mais divertido do que reunir a garotada para dormir de turma na casa de um amiguinho? Sempre sob a observação atenta dos pais, as crianças podem fazer campeonato de videogame, maratona dos filmes preferidos ou caça ao tesouro, por exemplo. Os pais devem ajudar na organização das brincadeiras e providenciar uma janta gostosa para as visitas.

Cozinhar
Bolos, pães e docinhos são ótimas opções de receitas para fazer com a ajuda dos pequenos. Além de divertido, ir para a cozinha com as crianças pode ser um importante aprendizado.
– Quando participam do preparo da refeição junto com os pais, cortando e experimentando os alimentos, a aceitação da comida saudável é maior – explica Clarissa.

Mexer com fotografias
Mesmo que hoje em dia não se cultive tanto o hábito de guardar fotografias impressas em casa, algumas famílias que ainda têm o hábito de manter álbuns podem organizar esse material com a ajuda da criança.
– Separar o material por épocas ou por temas e ir contando a história das imagens para a criança pode ser um ótimo entretenimento e uma lembrança importante para guardar de suas férias. Depois, os pais podem convidar o filho a fazer um cartaz ou painel com suas fotografias preferidas – sugere Tânia.

Organizar festivais
Pode ser de filmes, música ou dança: a ideia é que toda a família se envolva. Os pais podem organizar com os filhos uma maratona de filmes, cada dia de semana um título diferente, por exemplo. Se optarem por música e dança, casa pessoa pode escolher uma canção e se apresentar para os demais. vale confeccionar convites para toda a família, faixas e painéis. 
– É importante marcar as coisas com formalidade. Dar um ar solene para as atividades faz com que o momento seja tratado como algo importante. Muitas vezes, as crianças acabam se envolvendo até mais com a preparação do que com o evento em si – explica Tânia.

Leia mais:
>> Vai viajar? Veja se tudo cabe no porta-malas
>> Confira ofertas de carros abaixo de R$ 15 mil

Leia mais
Comente

Hot no Donna