Como tirar férias com os filhos… em paz!

Veja as dicas de Patricia Papp, mãe de dois filhos e autora de Crianças a bordo: Como viajar com seus filhos sem enlouquecer

Viajar com filhos a tiracolo é um grande desafio
Viajar com filhos a tiracolo é um grande desafio Foto: Stock Photos, Divulgação

Viajar com filhos a tiracolo é um grande desafio. Para pais sem muita paciência, o que deveria ser uma oportunidade para descanso pode se tornar um transtorno. Para aproveitar o que de melhor uma viagem pode oferecer, há série de recomendações que podem ser seguidas. As dicas são de Patricia Papp, mãe do Pedro e da Luiza e autora do livro Crianças a bordo – Como viajar com seus filhos sem enlouquecer (Editora Pulp, R$ 24).

Quantas mãos você tem?
Você arruma todas as malas cuidadosamente e faz todo esforço do mundo para levar uma bagagem reduzida. Não adianta, ao chegar ao aeroporto, elas se multiplicam como Gremlins atacados por água! Antes mesmo do check-in, surgem garrafas de água, mamadeiras, chupetas, brinquedos, revistas, livros e chocolates. Em resumo: faltam mãos para apresentar passaportes e bilhetes de embarque, para passar as bagagens no Raio X e para segurar as crianças.

Memória
Eu já esqueci o ursinho no avião, a filmadora na van e a mala em casa. E posso garantir que esquecer um filho, no meio da confusão, não é tão impossível quanto parece. Sei do caso de um casal que viajava com dois filhos e duas babás e, quando chegou ao avião, percebeu que um dos filhos não estava junto. Isso geralmente acontece porque chega uma hora em que ninguém sabe por quem, ou pelo que, está responsável. Conte quantos itens está levando (inclua seus filhos na conta) e toda vez em que entrar ou sair de um carro, ônibus, metrô ou avião, refaça a contagem.

Roupa suja se lava em casa
Sabe aquelas coisas que te irritam profundamente no seu marido? O tom da voz, uma resposta atravessada, a falta de organização, a cor da roupa, uma mania ou um tique nervoso? Releve tudo. Faça um pacto com ele e deixem as brigas e desavenças para depois. As crianças agradecem. Os vizinhos de poltrona, as aeromoças, os garçons e as camareiras também.

Apenas o necessário
Imagine se você chegasse a seu destino e a sua mala, ou a de seu filho, não estivesse lá? O que você compraria para “sobreviver” nos dias em que a mala ficasse em trânsito? Roupas de baixo, uma calça, duas blusas básicas e um casaquinho: são essas as peças que devem estar na sua mala. Deixe os saltos, os paetês, as bijuterias, o glamour e tudo que amassar em casa. Se não quiser ficar com a mesma roupa em todas as fotos, experimente levar uns lenços ou mudar o jeito de prender o cabelo.

Os imprevistos nunca foram previstos
Pode chover, pode nevar, pode fazer muito calor, pode acabar a água, a reserva do hotel pode desaparecer e o avião pode ter que fazer um pouso de emergência em Lima. Como diz uma amiga: só passa por isso quem viaja. Se você gosta de viajar, prepare o espírito e tenha jogo de cintura para saber o que fazer com as crianças numa situação inesperada. Isso vai ser mais útil do que um guarda-chuva ou um par de galochas.

Abaixo a fome
Qualquer ser humano, em qualquer idade, fica incomodado quando está com fome. As reações mais comuns nos adultos são irritações e mau humor. Nas crianças, impaciência e manha. Tudo isto junto acaba com qualquer programa. Não deixe para pensar onde e o que vai comer quando já não estiver raciocinando bem. Planeje as refeições e ande sempre com um lanchinho na bolsa para situações de emergência.

Corra, filho, corra
Você está sempre correndo, sempre atrasado, sempre com pressa? Chegou a hora de mudar. Com um filho no colo você fica muito menos ágil e fazer uma criança correr no seu ritmo é praticamente impossível. Chegue com antecedência no aeroporto, não faça conexões apertadas, programe-se e faça reservas. Você vai descobrir como a vida pode ser mais tranquila quando fazemos as coisas com calma.

Um para você, um pra mim
Não é porque você está viajando com filhos que não pode fazer programas interessantes e comer bem. O ideal é o equilíbrio: vá ao zoo, mas não deixe de passear no bairro bacana. Dê um sorvete no lanche, mas almoce naquele restaurante superbadalado. Ensine seu filho a se comportar nos lugares que você gosta de frequentar.

Nada de incertezas
Sabe aquelas viagens em que você não tem hora para acordar, reservas de hotel e não sabe nem dizer em que cidade vai dormir na noite seguinte? Esqueça. Guarde seu espírito Easy Rider para quando estiver sem as crianças. Ninguém merece procurar hotel com filhos pequenos cansados, sujos e com fome.

Mistureba
Misturar sabor artificial de queijo, recheio de melancia e refrigerantes coloridos não dá certo. Se a estrada tiver muitas curvas, as chances das crianças ficarem enjoadas aumentam muito. Melhor mesmo é evitar a comilança dentro do carro e preservar o bem estar de todos. Por experiência própria posso afirmar que cheiro de vômito demora muito pra sair do carro…

Mais um filho
Pense duas vezes antes de levar uma babá. A viagem é uma ótima oportunidade para que você possa ficar com seus filhos, fugir da rotina e estabelecer uma troca de informações que acaba se perdendo na correria do dia a dia. Claro que em alguns casos uma pessoa para ajudar pode ser muito bem-vinda. Mas analise a situação e levante os prós e os contras.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna