Confira dicas divertidas sobre o uso do celular nas festas de Carnaval

Humorista fala sobre os riscos de pagar mico levando o aparelho para o agito

Foto: Charles Guerra

Com a proximidade do Carnaval, precisamos começar a pensar em coisas importantes a serem evitadas para que a nossa imagem não fique abalada pela folia. O apresentador da MixTV, empresário e humorista Gustavo Braun (criador o fake de @nairbello no Twitter, em 2007 e do Blogue da Nonna e pelos tumblrs Fica Vai Ter Bolo e Vamos Acompanhar) dá dicas divertidas sobre cuidados que temos que ter – especialmente com as fotos que postamos em redes sociais – para que o mico não seja o samba enredo da nossa festa.

? Pelo amor de Steve Jobs, não leve o celular para o bloco de carnaval porque a folia pode ter um gosto amargo ? diz Braun.

Ele alerta para motivos para deixarmos o aparelho em casa – ou ao menos cuidarmos muito bem dele para não fazer besteira:

Poderá ser roubado – Vai ter empurra-empurra e a chance de levarem seu aparelho vai para níveis contrários ao da bateria do mesmo (ou seja, altíssimos!).

Fotos vergonhosas – Se você bebe, a chance de você postar uma foto agarrando uma pessoa desconhecida são gigantescas. Lembre-se que depois da quarta-feira de cinzas o mundo volta ao normal e você vai ser zoado pelos amigos para sempre.

Problemas no trabalho – Você vai estar feliz e contente no bloco e vai escrever no Facebook ou no Twitter: “Nunca mais quero voltar ao trabalho!” Pronto. Seu chefe (que você foi obrigado a aceitá-lo como amigo na rede para não ficar chato) vai ler e vai comentar com você na volta: “É tão ruim assim trabalhar aqui?”

Depressão – Se o seu celular tiver câmera você vai tirar fotos com ele sem parar. E nem vai lembrar que elas estão lá. Meses depois, quando você por acaso for dar uma olhada nas fotos antigas, vai lembrar de como sua vida já foi mais feliz um dia e vai bater uma depressão terrível.

Seu número vai circular por aí – Se você é solteiro, vai beijar alguém. E outro alguém. E outro alguém de novo. E como vai estar com o celular lá, pode resolver trocar números. Não! Na semana seguinte vai ter 50 pessoas querendo ir ao cinema com você.

Namoro em risco – Você tem namorado/a, mas nesse dia específico foi ao bloco sozinho e encontrou um colega do sexo oposto que você não via fazia tempo! Ficou feliz e tirou uma foto, claro! Postou no Instagram ou no Facebook dizendo “Que alegria rever fulano/a”. Pronto. Seu sossego acabou. “Quem é essa pessoa que você encontrou, posso saber?”.

Bateria morta – Pode anotar: bem na hora que você precisar falar no telefone ou receber uma mensagem pra saber onde o seu grupo de amigos vai estar, ele vai desligar. E você vai ficar desesperado e vestido de índio sozinho com uma bebida na mão.

Alto risco de queda – Algum amigo ou desconhecido vai passar a mão no seu ombro e dançar aquela música incrível que estará tocando! Todos são melhores amigos no bloco de carnaval. Alalaô ô ô ô ô! Mas nesse exato momento você estava com o celular na mão respondendo uma mensagem do outro amigo que estava chegando no bloco. “Tô aqui perto do poste”. Pois é! O maluco te abraçou de repente e o celular caiu no chão! Socorro! A multidão continua andando e você nunca mais vai achar o aparelho que você comprou depois de tanto trabalho.

Vai cair bebida nele – Por que você estava mandando aquela foto incrível pro Instagram e o felizardo do seu lado levantou as mãos pro alto pra fazer firula enquanto samba e PÁ! Derrubou a latinha de cerveja no seu celular e ele vai pifar. Ah, se vai.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna