Conheça o Spa Clínica La Prairie, na Suíça, um dos mais exclusivos do mundo

Filosofia é oferecer um serviço completo para que o paciente possa envelhecer melhor

Jardim ao lado do Spa La Prairie
Jardim ao lado do Spa La Prairie Foto: Agência O Globo

A vista é deslumbrante: a paisagem dos Alpes e do Lago Genebra. As acomodações são cinco estrelas. O cardápio nem parece de dieta: opções deliciosas e pratos incomuns em um spa. Quer um exemplo? Você pode escolher ostras de entrada no almoço ou ter como prato principal carne de avestruz. Nos tratamentos estéticos para o rosto e o corpo, produtos caros, feitos com a raiz da flor-de-lis do tipo azul.

Para se ter mais uma prova de que a Clínica La Prairie, em Montreux, na Suíça, é mesmo exclusivíssima e digna da realeza, basta dizer que uma limusine recebe o paciente no aeroporto de Genebra, a uma hora do local. Detalhe: o motorista fala português.
 
Toda essa mordomia tem um preço alto: 8,2 mil francos suíços pelo pacote mais em conta, com duração de quatro dias. São apenas 59 quartos e o paciente tem à disposição seis programas: perda de peso, beleza, relaxamento, check-up médico, talassoterapia (terapia com água do mar) e revitalização, que é feita há quase 80 anos e é o tratamento mais conhecido.
 
O Spa da La Prairie, que já recebeu prêmios da revista “Condé Nast Traveller”, existe desde 2005. Ele funciona em um prédio de três andares e dispõe de um centro de talassoterapia, com piscina aquecida e coberta para natação, hidroterapia e piscina com água salgada, além de academia, sauna, sala para massagem tailandesa e 21 cabines para tratamentos estéticos. Desde 1992, eles só usam nos clientes produtos próprios, da marca Swiss Perfection. Os cosméticos La Prairie, que foram lançados na clínica em 1978, pertencem atualmente ao grupo alemão Beierdorf.
 
As atividades como a hidroginástica ou a aula de alongamento, por exemplo, são feitas com grupos muito reduzidos, ou muitas vezes, com apenas um aluno. A atenção a cada um é total, e ninguém espera por nada. Se você pedir que seu café da manhã seja servido para 7h34m, ele chegará pontualmente, em uma bandeja caprichada.
 
? Temos tudo o que se espera dos suíços: somos precisos, confiáveis e discretos ? explica o diretor executivo Gwynn Brand.
 
Tão discretos que não falam nos nomes dos clientes famosos ou milionários nem dão números. As histórias são contadas sem revelar identidades, como a de uma princesa de um país do Oriente Médio que passou um ano no spa em tratamento para emagrecer, antes de se casar. Ou de japoneses que têm feito o tratamento de revitalização, que é indicado para maiores de 50 anos, ainda aos 35 anos, por terem uma vida extremamente estressante.
 
? Os clientes chineses, que compram tudo o que gostam, querem adquirir a La Prairie. Eu digo que não estamos à venda. Eles então propõem construir um igual na China, o que não é possível. Isso aqui é único. Como ter na China esse lago, os Alpes, as pessoas daqui? ? pergunta Brand.
 
Todos os pacotes de seis ou sete dias têm início com um check-up médico de dois dias, que incluem radiografias, eletrocardiograma e exames laboratoriais. Os exames são feitos no Centro Médico, um hospital moderno, que é usado também por suíços que têm um bom plano de saúde e conseguem reembolso nas consultas ou cirurgias. Na unidade, que conta com profissionais de 25 especialidades, são feitas cirurgias plásticas, gerais e as relacionadas ao envelhecimento. Eles são especializados nas ortopédicas, como a colocação de prótese no quadril e no joelho. No futuro, eles querem colocar prótese de tornozelo.

? Nossa filosofia é oferecer um serviço completo para que o paciente possa envelhecer melhor. Ele pode vir fazer uma prevenção ótima, um check-up com tudo. Temos ainda um tratamento específico para o interior, que é a revitalização. E contamos com tudo para o exterior: até dentistas especializados em implantes e beleza da boca ? explica Adrian Heini, diretor médico da La Prairie.
 
Aplicações de toxina botulínica e preenchimentos com ácido hialurônico para atenuar rugas são rotina no hospital. O médico Roland Ney, especialista em medicina estética, revela ainda que são obtidos excelentes resultados no rosto e no corpo com a Thermage, que utiliza a tecnologia de radiofrequência. Só é preciso fazer uma sessão, com resultado que pode durar até dois anos. O preço vai de 3 mil francos suíços (pequenas áreas) a 6 mil francos suíços (áreas maiores).
 
? É uma máquina que irrita a pele e estimula a produção de mais colágeno. Há um aumento da elasticidade. Ela é indicada quando ainda não é preciso fazer um lifting. Não é invasiva e, uma hora e meia depois, nem parece que você fez um tratamento ? detalha Ney.
 
O médico é um entusiasta das pequenas intervenções, que podem ser feitas a partir dos 30 anos.
 
? Não se deve esperar ? aconselha o médico, que trabalha com estética há 20 anos e já fez mais de 25 mil aplicações de botox. Outras recomendações para quem quer manter a pele bonita por mais tempo são evitar ao máximo o sol, não fumar, usar bons cosméticos e praticar esportes.
 
Ney ensina que a ideia não deve ser parar o envelhecimento, mas ficar bem com o passar do tempo.
 
? Se você tem 60 anos, mas parece ter 50, está bem. Não se pode ficar com aparência de 40 anos para sempre. Essa concepção, que é comum nos Estados Unidos, não é boa e leva a fazer coisas dramáticas com o rosto.
 
O grande chamariz da La Prairie é a revitalização, um tratamento criado em 1931 pelo médico Paul Niehens. Ele injetava células frescas de fetos de ovelhas nos pacientes. Em 1953, Niehens foi chamado ao Vaticano para aplicar as injeções no Papa Pio XII, que estava doente. O atendimento ao Pontífice espalhou o nome da instituição pelas páginas dos jornais dos quatro cantos do mundo.
 
? A fórmula que usamos hoje é diferente. Os pacientes recebem injeção de lipido A, um fator potente de estímulo do sistema imunológico. Nós o descobrimos em fetos de ovelhas e agora o produzimos biossinteticamente. Ministramos ainda, por via oral, o extrato de fígado de cordeiro. Uma parte é absorvida pelo organismo. Outra interage com as células imunológicas do intestino ? diz Heini.
 
Quem mais procura o tratamento de revitalização são pessoas com mais de 60 anos, homens e mulheres em igual proporção.
 
? A maioria vem da Rússia, seguida por China, Oriente Médio, América Central e do Sul e, por fim, Europa ? revela o diretor clínico. Há 20 anos, o maior número vinha da América Latina.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna