Conheça os perigos do estresse feminino

Mulheres brasileiras estão entre as mais estressadas

Estresse pode desencadear problemas físicos e psicológicos
Estresse pode desencadear problemas físicos e psicológicos Foto: Divulgação

Trabalho, tarefas domésticas, filhos, marido. Com tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo, às vezes é difícil manter a calma.

Estudo realizado pela Nielsen Company em 21 países e divulgado em julho apontou que 67% das brasileiras se dizem estressadas. O resultado deixa o país em 4º lugar no ranking de estresse feminino, à frente de países como a Nigéria e a Malásia. A pesquisa creditou a causa do mal aos múltiplos papéis desempenhados pela mulher na sociedade – em economias emergentes, como no caso do Brasil, seria mais difícil conciliar vida profissional e vida pessoal.

Segundo especialistas, o estresse não é completamente ruim. Em fase inicial, ele dá ânimo, vigor e torna a pessoa mais produtiva. Porém, quando atinge níveis mais graves, pode desencadear problemas físicos e emocionais.

Entre as consequências do estresse, estão a queda de cabelos, aumento da secreção sebácea e dermatites.

– O estresse baixa a imunidade do organismo, deixando-o suscetível a vários desequilíbrios, entre eles o do couro cabeludo – explica a terapeuta capilar Patrícia Maciel.

De acordo com Patrícia, a queda de cabelo de fundo psicológico é tratada com a ação simultânea de terapeutas capilares, psicólogos e, inclusive, neurologistas.

O estresse também pode contribuir para o aparecimento de ansiedade, nervosismo, dificuldade de concentração e alterações de humor sem motivo aparente. Além disso, quando alguns hormônios do estresse são liberados – adrenalina e cortisol, principalmente -, ocorre a diminuição da atividade do sistema imunológico. Isso pode desencadear desde simples alergias até hipertensão arterial, doenças cardíacas, câncer, complicações pulmonares e cirrose.

– Uma das principais consequências do estresse ao sistema cardiológico é a aterosclerose, uma diminuição do fluxo sanguíneo nas artérias coronárias. Esta diminuição é causada pelo aumento da produção dos hormônios do estresse, com consequente redução do nível de oxigenação do miocárdio – explica o cardiologista Manoel Carlos Beldi Castanho.

O médico também alerta que o estresse libera colesterol, o que entope as artérias e pode causar infarto.

– Além disso, também podem acontecer acidentes vasculares cerebrais devido ao aumento da pressão arterial e dos batimentos cardíacos – complementa o doutor.

Para a psicóloga Cláudia P. S. Nogueira, uma maneira de lidar com o estresse é aprender a avaliar os acontecimentos de forma mais realista, pois, assim, a pessoa consegue desenvolver habilidades para enfrentar obstáculos da vida e poupar a saúde.

Leia mais
Comente

Hot no Donna