Conheça os tipos de bronzeamento e saiba quais os riscos de cada um

Dermatologista recomenda no máximo até duas horas por período no sol
Dermatologista recomenda no máximo até duas horas por período no sol Foto: Reprodução

Compartilhar

Verão é sinônimo de sol e, a reboque, de exibir por aí aquele tom dourado que faz qualquer uma ficar mais radiante e bonita. Entretanto, antes de se jogar debaixo dos raios solares em busca de um bronzeado rápido a qualquer preço, é preciso entender que a marquinha de biquíni não compensa danos a curto e longo prazo.

A seguir, o dermatologista Marcelo Rigatti esclarece algumas dúvidas sobre bronzeamento.

::: Quais os tipos de bronzeamento?
Há três: ao natural, que é se expondo ao sol; o artificial, que são as câmaras de bronzeamento; e os autobronzeadores, que podem ser em cremes ou a jato.

::: Quais os riscos de cada um?
Ao se expor ao sol, deve-se cuidar com os horários. Evitar o horário entre 10h e 17h é fundamental. As câmaras de bronzeamento estão proibidas porque podem causar câncer, mas ainda existem por aí. Quanto aos autobronzeadores, a única restrição é quando se é alérgico às substâncias. E, sendo cremes, não protegem a pele.

::: Quais as outras dicas para quem vai ao sol?
Fora o protetor, use óculos escuros e guarda-sol, beba bastante água e fique no máximo até duas horas por período no sol.

Leia mais
Comente

Hot no Donna