Crise econômica afetará mais as mulheres na América Latina

ONU alerta que elas podem ser as primeiras na onda de demissões

Efeitos da crise podem ser mais devastadores para elas na América Latina
Efeitos da crise podem ser mais devastadores para elas na América Latina Foto: STR, EFE

Representantes da Organização das Nações Unidas (ONU) no México afirmaram que a crise econômica pode afetar, em especial, as mulheres na América Latina.

– É possível que as mulheres percam antes seus empregos. Além disso, os casos de trabalho infantil podem aumentar, especialmente entre as meninas – disse o espanhol Magdy Martínez-Solimán, coordenador das Nações Unidas no México. As declarações foram feitas em uma coletiva de imprensa concedida por ocasião do Dia Internacional da Mulher, comemorado em 8 de março.

Martínez-Solimán disse que o combate à crise precisa ser feito com cuidado, para evitar injustiças com as mulheres. O representante das Nações Unidas também defende a criação de mais postos de trabalho femininos.

– É provável que as mulheres sejam mais afetadas pela onda de desemprego. E não podemos reduzir ainda mais as poucas vagas para elas, que já recebem salários inferiores aos homens – acrescentou.

Já a diretora da Agência da ONU para a Mulher (Unifem) no México, Cuba, América Central e República Dominicana, Teresa Rodríguez Allendes, informou que há um seminário programado para o mês de maio. O evento vai analisar o impacto da crise sobre as mulheres da região.

Leia mais
Comente

Hot no Donna