Cuidado com a saúde do seu bichinho de estimação neste inverno

Cães e gatos também podem sofrer com as baixas temperaturas

Foto: Reprodução

Com a chegada do inverno, as pessoas costumam ficar mais atentas aos cuidados com a saúde, pois ficam propensas a uma série de doenças. No entanto, a mesma atenção deve ser tomada com os animais de companhia que também ficam mais vulneráveis com as baixas temperaturas.

Os ambientes fechados e sem ventilação facilitam a transmissão de microorganismos nocivos entre os animais. Os profissionais de canis, pet shops e os proprietários de animais, precisam tomar algumas precauções para evitar a transmissão de doenças, como a gripe canina e felina.

Tanto a gripe canina, também conhecida como tosse dos canis ou traqueobronquite infecciosa canina, quanto a rinotraqueíte felina ou a gripe dos gatos, é transmitida de animal para animal por meio de secreções nasais que aumentam com a chegada das temperaturas frias. Segundo o veterinário Leonardo Brandão, manter os animais de companhia dentro de casa não é o suficiente para evitar doenças:

– Isso não evita o contato entre os animais suscetíveis e aqueles que podem estar carreando os agentes das doenças. A prevenção é a melhor forma de combater qualquer tipo de problema. A administração de vacinas específicas pode proteger os animais de doenças graves, tanto para os cães quanto para os gatos – observa o especialista.

De acordo com o médico veterinário, os animais apresentam espirros ocasionais, secreção nasal, prostração e febre. Os animais podem apresentar perda do apetite, ocasionando perda de peso e desidratação. Ainda, o quadro pode evoluir para uma pneumonia. Geralmente ocorre cura espontânea do animal, mas todos os casos devem ser avaliados por um médico veterinário para o correto e a instituição de tratamento adequado.

Leonardo observa que, de modo geral, os filhotes devem ir ao veterinário para receber as primeiras doses de vacina a partir de 45 dias de vida (normalmente, são recomendadas 3 doses da vacina nesta primeira fase da vida). Depois, os animais devem retornar anualmente ao médico veterinário para que sejam sempre reavaliados e recebam a vacina de reforço anual.

Fonte: Merial

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna