Dependência psicológica é principal causa do tabagismo entre as mulheres, diz pesquisa

A tendência de crescimento do tabagismo entre as mulheres ao longo das últimas décadas aponta para um novo quadro nas questões de saúde

Celulite também pode ser potencializadas pelo tabagismo
Celulite também pode ser potencializadas pelo tabagismo Foto: Sxc.hu

Um levantamento realizado pelo Hospital do Coração (HCor/SP) com mulheres fumantes revela que cerca de 50% delas fumam de um a 20 cigarros por dia, 17% fumam de 21 a 30 e 3,3% consomem mais de 30 cigarros diariamente. O estudo destaca ainda a relação da mulher com a dependência e mostra que 76,67% buscam o cigarro quando estão aflitas, ansiosas, preocupadas ou com  medo e 53,3% fumam quando se sentem tristes, desanimadas e deprimidas, revelando a dependência psicológica.

Em relação aos motivos que levam as mulheres a fumar, a pesquisa mostra que 43,3% começaram por influência dos amigos, 30% por curiosidade, 13,3% por influência dos familiares e 10% por busca de prazer.

Atualmente, o número de homens fumantes é quatro vezes maior do que o de mulheres, porém, enquanto o índice masculino se estabiliza, o número de mulheres fumantes segue aumentando. Associado a uma imagem de independência e ao ingresso no mercado profissional, o tabagismo se incorpora diariamente na vida de mulheres cada vez mais jovens.

Segundo Priscila Bueno, psicóloga do Programa Integral ao Fumante do HCor, a tendência de crescimento do tabagismo entre as mulheres ao longo das últimas décadas aponta para um novo quadro nas questões de saúde reprodutiva e nas doenças cardio e cerebrovasculares. Atualmente, as principais causas de morte entre as mulheres são as doenças cardiovasculares, como infarto agudo do miocárdio e acidente vascular encefálico. O câncer de mama, pulmão, colo de útero e as doenças respiratórias vêm em seguida e também podem estar relacionadas ao fumo.

? A prática clínica e os estudos relacionados ao tabagismo têm derrubado a crença de que os prejuízos causados sejam mais intensos nos homens. As mulheres são tão ou mais suscetíveis que os homens aos malefícios do fumo nos aspectos de saúde e nas características próprias como a gestação, a menopausa e o uso de pílulas anticoncepcionais. Além da dependência e dos prejuízos físicos, o cigarro causa dependência psicológica ? afirma.

Em razão disso, o tratamento contra o tabagismo deve contar com acompanhamento multidisciplinar que envolva médicos, nutricionistas e psicólogos, indo da reposição de nicotina e medicação, quando necessários, à identificação de situações e sentimentos associados à dependência.

Outros resultados

:: 73,33% das mulheres pesquisadas relatam precisar do cigarro após as refeições, cafezinhos ou quando bebem;

:: 46,67% delas fumam quando estão irritadas e com raiva;

:: 46,67% fumam quando estão com outros fumantes.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna