Dermatologista desvenda mitos e verdades sobre a acne

Segundo estudos recentes, não há relação entre acne e obesidade, tampouco entre lavar o rosto várias vezes ao dia e a melhora da doença

Evite qualquer produto que tenha óleo em sua composição
Evite qualquer produto que tenha óleo em sua composição Foto: Stock Photos

A acne afeta cerca de 85% dos adolescentes e também pode persistir na vida adulta. A doença apresenta vários graus de gravidade e é um dos motivos mais frequentes nas consultas dermatológicas. De acordo com o médico Adilson Costa, por ser muito comum, a acne envolve muitos mitos, mas há poucos artigos científicos que os explicam.

O dermatologista afirma que, segundo estudos recentes, não há relação entre a acne e a obesidade, tampouco entre lavar o rosto várias vezes ao dia e a melhora da doença.

Contudo, quanto à alimentação, é possível afirmar que dietas com alto índice glicêmico pioram a situação. Portanto, de certa forma, a crença de que o chocolate dá espinha pode fazer sentido se houver excessos, já que o consumo de alimentos com muito açúcar leva a picos de insulina que estimulam a glândula sebácea. Mas ainda assim, de acordo com o médico, não há dados suficientes para relacionar a presença da acne ao consumo de alimentos específicos.

Para proteger as glândulas e prevenir a acne, deve-se investir no consumo de legumes, frutas e peixes, que são ricos em ácidos graxos e têm baixo índice glicêmico.

? Os países asiáticos tinham menos incidência de acne quando não tinham fast food, porque a dieta oriental tem efeito protetor neste sentido ? compara Costa.

Manter-se longe do estresse também pode ser um bom preventivo, já que, de acordo com o dermatologista, ele realmente tem efeito negativo sobre a acne. Em situações de estresse, ocorre liberação de hormônios que podem piorar o quadro da doença.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna