Descubra o que é mais eficaz para a perda de peso, evitar gorduras ou carboidratos

Nutricionista dá dicas de como evitar os malefícios dos dois grupos

Nutricionista recomenda atenção ao rótulo do azeite, que deve ser o produto deve ser extra-virgem
Nutricionista recomenda atenção ao rótulo do azeite, que deve ser o produto deve ser extra-virgem Foto: Ricardo Wolffenbuttel

Uma pesquisa divulgada pela Universidade de Temple, da Philadelphia, nos Estados Unidos, revelou que dietas pobres em gordura e em carboidratos podem ser igualmente eficazes no combate ao excesso de peso.

Para chegar a este resultado, os pesquisadores dividiram os voluntários em dois grupos, um que fez uma dieta pobre em gordura e o outro em carboidratos. Depois de um ano de pesquisa, os dois grupos tiveram uma redução média de peso de 10 quilos. No segundo ano, foram cerca de 7 quilos.

Além disso, ao final do segundo ano, os dois grupos haviam reduzido suas taxas de colesterol ruim a níveis semelhantes, assim como haviam experimentado redução das taxas de triglicérides e da pressão sistólica.

Segundo a diretora da Associação Gaúcha de Nutrição (Agan), Jussara Maria dos Santos, no entanto, uma alimentação balanceada pode evitar o consumo excessivo dos dois grupos de nutrientes sem que eles precisem ser drasticamente cortados da dieta.

– Mudança de hábitos é o grande segredo para quem quer se alimentar bem. Na hora das compras, por exemplo, devemos substituir os alimentos brancos pelos integrais. Eles têm mais ou menos o mesmo teor calórico, mas os integrais não passaram por um processo industrial forte e, consequentemente são mais nutritivos. Além disso, há truques muito simples para evitarmos o excesso de gordura na alimentação – explica.

Acompanhe as dicas da nutricionista:

? Para evitar as gorduras:

:: Azeite

– No preparo do arroz integral ou parbolizado: esses alimentos dispensam o uso de azeite, prepare-os apenas com o uso da cebola ou do alho.

– No preparo do feijão: use apenas um fio pequeno de azeite de canola ou de soja. Para temperar utilize especiarias como a manjerona e o louro. Nunca coloque na sua receita sobras de churrasco, linguiça, ou carnes de porcos. Apesar de acentuar o sabor, elas são bastante gordurosas e elevam a concentração desse nutriente no alimento.

– Se você gosta de usar azeite de oliva em pratos quentes: tenha em mente que, a partir de 250ºC, ele perde suas propriedades benéficas à saúde. Então, caso queira ressaltar o gosto dos alimentos, acrescente o produto depois que ele estiver prestes a ser servido. Jussara reforça ainda que, ao comprar o produto no supermercado, não se pode fazer uma opção aleatória do azeite. Na embalagem devem ser verificados três requisitos indispensáveis: o produto deve ser extra-virgem, de primeira prensagem e prensado a frio.

:: Bolachas

A gordura trans é o principal vilão da saúde presente nas bolachas, tanto nas doces, quanto nas que contêm água e sal. Opte pela bolachas integrais.

:: Saladas

Ao temperar as saladas, os vinagres indicados são os de maçã e os balsâmicos. Além disso, pequenas porções de sal e doses do azeite de oliva, que é rico em Ômega-3, são bem-vindas.

:: Carnes

Prefira as carnes brancas, sem gordura como o frango e o peixe.

– Para evitar o excesso de carboidratos:

:: Pães

Prefira os pães integrais, ricos em fibras, em detrimento dos pães brancos, pois elas auxiliam na digestão dos alimentos. Segundo Jussara, os pães com sete, 12 ou 14 grãos são os mais indicados.

:: Arroz

O arroz integral é o mais apropriado para a alimentação diária. No entanto, como seu preparo exige mais tempo disponível o produto parbolizado é uma ótima segunda opção. O arroz branco deve ser evitado, exatamente por ser pobre em fibras.

:: Massas

Fuja das massas comuns. Na hora das compras, opte pelas massas integrais, ricas em fibras, o que também facilita o bom funcionamento do metabolismo.

Leia mais
Comente

Hot no Donna