Dia Mundial da Alimentação: cresce procura por alimentos funcionais

Substâncias presentes em verduras e frutas podem ajudar a combater até mesmo o câncer

Estilo da festa pode variar de acordo com o gosto do casal
Estilo da festa pode variar de acordo com o gosto do casal Foto: Divulgação

Nesta quinta-feira, dia 16, comemora-se o Dia Mundial da Alimentação, assunto que vem ganhando uma atenção especial de especialistas e governantes nos últimos anos. Antigamente, médicos e nutricionistas indicavam o consumo de alimentos pensando nas qualidades nutricionais. Hoje, a novidade é que já se sabe, com base em pesquisas, que muitos alimentos têm substâncias que ajudam na prevenção e no controle de doenças. São os chamados funcionais. 
 
Quando começou a sentir os efeitos da menopausa, a dona-de-casa Ema Teresa Ferraz preferiu fazer a reposição hormonal com produtos à base de soja. Desde então, a dieta saudável e a prática de exercícios físicos fazem parte de sua rotina.
 
– Tomo meu suco de manhã cedo e como frutas. Depois, almoço bastante verdura, principalmente verduras escuras, porque dizem que é bom e a gente sabe que uma alimentação saudável sempre nos faz ter uma vida melhor, ainda mais agora que estou ficando mais velha – diz ela.
 
Mas a presidente da Sociedade Brasileira de Alimentos Funcionais, Jocelem Salgado, alerta que os alimentos, sozinhos, não fazem milagres pela saúde.
 
– Ele [alimento funcional] sempre tem que estar inserido nem estilo de vida adequado e numa dieta equilibrada. Então não adianta a pessoa estar 20 quilos acima do peso, por exemplo, ser sedentária, fumar e ingerir bebidas alcoólicas como parte de sua rotina – pondera.
 
Jocelem trabalha há mais de 20 anos no departamento de agroindústria, alimentos e nutrição da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) e desde a década de 80 se dedica ao estudo dos alimentos funcionais. Ela conta que no Japão as pesquisas nesta área são as mais avançadas no mundo. Tanto que lá cerca de 200 alimentos estão registrados como funcionais. No Brasil, esta linha de pesquisa começou a chamar a atenção a partir da década de 90. Nos últimos dois anos, esse mercado cresceu 20%.
 
– Hoje as pessoas estão bem mais cientes da relação entre saúde e alimentação – avalia Jocelem.
 
Alunos do curso de Ciência dos Alimentos da Esalq são a prova de que o assunto tem sido alvo de interesse em pesquisas. Os estudantes fazem parte do grupo de estudos de alimentos funcionais, criado há três anos.
 
– As pessoas estão deixando de procurar a cura e estão voltadas para a prevenção – comenta a universitária Tânia Barone.
 
De acordo com a Organização Mundial da Saúde, em torno de 10 milhões de novos casos de câncer surgem por ano em todo o mundo. Mas, segundo estudos, este número pode ser drasticamente reduzido se todas as pessoas a partir de hoje incluíssem em seu cardápio diário pelo menos quatro frutas e três hortaliças.
 
Boas notícias dos alimentos funcionais
 
Nos últimos anos, a soja tem sido um dos alimentos mais pesquisados para comprovar os benefícios a saúde. Além de ter qualidade protéica, tem papel preventivo nas doenças cardiovasculares, alguns tipos de câncer – como de mama, pulmão, cólon, reto, estômago e próstata –, atua também na redução de risco da osteoporose e alivia os sintomas da menopausa.
 
Para os homens, a notícia boa é em relação ao tomate. Estudos comprovam que o consumo de licopeno, uma das principais substâncias presentes no fruto, pode reduzir pela metade os casos de câncer de próstata. Já o consumo de peixes como salmão e sardinha ajuda a prevenir doenças cardiovasculares, atua no sistema imunológico e é antiinflamatório.

Leia mais
Comente

Hot no Donna