Do Leite de Rosas ao Toddy: pioneirismo e design vintage mantém produtos nas prateleiras

Marcas como Granado têm boa parte do seu sucesso graças às embalagens retrôs

Nos anos 1930, estabeleceu-se a ligação entre o Leite de Rosas e musas como Carmem Miranda, uma das primeiras garotas-propaganda da marca
Nos anos 1930, estabeleceu-se a ligação entre o Leite de Rosas e musas como Carmem Miranda, uma das primeiras garotas-propaganda da marca Foto: Ver Descrição

Simplicidade parece ser a alma do negócio ou, pelo menos, uma fonte de longevidade. O Leite de Rosas começou com álcool e cânfora. O tempero Arisco, com sal e especiarias. O Nivea Creme, primeiro hidratante do mundo, foi desenvolvido a partir de um emoliente que permitiu a mistura entre água e óleo, em 1911. A Maizena é a base para guloseimas descomplicadas desde 1874. Junte Leite Moça e achocolatados como Toddy ou Nescau e você terá outro clássico: o brigadeiro.

Com certeza, você conhece alguém que aprecia pão com patê de sardinha. Isso sem falar da impressionante autoridade que esses produtos têm ? usar polvilho antisséptico para os pés é praticamente um conselho de avó. Quem vai duvidar? Por que alguns produtos continuam nas prateleiras após tanto tempo? Um dos fatores é o pioneirismo.

? Muitos dos produtos centenários que continuam ocupando as prateleiras dos pontos de venda foram novidades na época de seu lançamento ? afirma a designer de produtos e professora substituta da Universidade de Brasília (UnB) Roberta Brack.

Nostalgia

Outro fator são as embalagens que transmitem uma mensagem de eterno, clássico ou nostálgico e permitem o primeiro contato do consumidor com o produto.

? Exemplo disso é a lâmina de barbear da Gilette, criada em 1895, e o sabão em pó Omo, primeiro a ser lançado no Brasil ? afirma.

Segundo Manoela Marcuzzo, estudante de desenho industrial da UnB, que estuda embalagens para seu trabalho de conclusão de curso, empresas como a Granado têm boa parte de seu sucesso graças às embalagens de aspecto retrô.

? Esse estilo, além de evidenciar a tradição do produto, traz confiança ao consumidor ? observa.

Estilo retrô

Algumas marcas adotam o estilo retrô porque exercem fascínio até mesmo sobre os jovens, que, sempre em busca de novos estímulos, “resgatam a linguagem estética e elementos visuais mais rebuscados de outras épocas para contrastar com a predominância da linguagem atual, mais minimalista”, segundo Roberta Brack.

? Mais importante e mais eficaz na transmissão de confiança ao consumidor, é a preocupação com a atualização das embalagens em termos sustentáveis ? acrescenta.

Inesquecíveis:

:: Leite de rosas

Líquido leitoso feito de álcool e cânfora. Essa era a fórmula inicial do Leite de Rosas, produto criado em 1929 pelo farmacêutico Francisco Olympio de Oliveira. O Leite de Rosas foi uma verdadeira vedete da Era do Rádio. Para anunciar o produto, a empresa patrocinou cantores como Orlando Silva.

Os anúncios também circulavam em revistas famosas da época, como a Fon-Fon e a Cruzeiro, além do Jornal das Moças. Nos anos 1930, estabeleceu-se a ligação entre o Leite de Rosas e musas como Carmem Miranda, uma das primeiras garotas-propaganda da marca. A loção foi ainda pioneira no uso de cor em suas peças publicitárias.

:: Maizena

É um produto derivado do milho. A marca está no mercado desde 1874. O nome foi criado pelos irmãos Duryea ? donos da Companhia de Fabricação de Amido Glen Clove, nos EUA. Em 1930, foi inaugurada a primeira fábrica das Refinações de Milho Brasil (RMB), no Bairro de Anastácio, em São Paulo. Presente em diversos pratos da culinária brasileira, principalmente no mingau, é muito consumido na região Nordeste.

:: Nescau

Lançado no Brasil em 1932, o achocolatado se chamava Nescáo, junção de Nestlé com cacáo, como se costumava grafar as palavras que atualmente terminam em au. A mudança do nome ocorreu somente em 1954.

:: Nívea Creme

Em 1911, Oskar Troplowitz, proprietário do grupo, desenvolveu um agente emoliente que permitiu a mistura entre a água e o óleo. O Nivea Creme foi o primeiro hidratante do mundo. Antes da descoberta, os cosméticos eram baseados em gorduras animais e vegetais e se decompunham rápido.

A palavra Nivea provém do latim niveus/nivea/niveum, que significa neve branca, uma referência à cor e à consistência do produto. A primeira embalagem era uma caixa amarela, redonda e metálica, decorada com flores.

:: Farinha Láctea

Preocupado com a alimentação infantil, o químico alemão Henri Nestlé criou, em meados do século 19, uma farinha à base de leite e cereais, a Farinha Láctea, altamente nutritiva ? e calórica.

:: Coqueiro (pescado enlatados)

A marca está no mercado brasileiro desde 1937. Inicialmente, a empresa trabalhava como uma espécie de cooperativa. O primeiro produto enlatado da linha foi a sardinha ? mergulhada em óleo ou em molho de tomate.

:: Leite Moça

O produto chegou importado ao Brasil em 1890 com o nome inglês Milkmaid, que, por sua vez, era uma tradução do original francês (La Laitière). Os consumidores, porém, acanhados com a pronúncia estrangeira, passaram a chamá-lo de leite moça, referindo-se à ilustração do rótulo, com uma camponesa do século 19.

:: Toddy

Preferência entre o público jovem, o Toddy logo se tornou um concorrente do Nescau. No mercado brasileiro desde 1933, o achocolatado ainda encanta a galerinha mais de 76 anos depois do seu lançamento.

Leia mais
>> Gravatinha centenária: o logo da GM através dos tempos

Leia mais
Comente

Hot no Donna