É mais difícil perder peso a partir dos 30 anos

Mulheres passam por uma transição hormonal com reflexos no peso

Exercícios físicos são fundamentais
Exercícios físicos são fundamentais Foto: Divulgação

Depois dos 30 anos, quem tenta emagrecer percebe em poucas semanas que o corpo já não reage da mesma maneira. Se antes podia-se comer besteiras que a barriga mal percebia, agora qualquer caloria parece multiplicar sua potência. Com o organismo passando a trabalhar mais lentamente, a queima calórica também pisa no freio.

Outra característica cria ainda novos obstáculos para quem quer perder alguns quilos, como explica o geriatra Rodolfo Herberto Schneider.

– O corpo começa a se desidratar. Como os músculos são ricos em água, estão entre os primeiros a sentir os efeitos, enfraquecem e são substituídos por gorduras – diz.

Mulheres a partir dos 40 anos passam por uma transição hormonal, incluindo sintomas de ansiedade e depressão. Ambos podem ter reflexos no peso, tanto por fazerem as pessoas comerem mais quanto por desviá-las de hábitos saudáveis, como a prática de esportes.

As mudanças nos hábitos também estão na lista de vilões da balança. Costuma ser por volta dos 30 anos o mergulho na carreira profissional, quando se pode abrir mão de atividades físicas e ficar mais exposto ao estresse, capaz de modificar o metabolismo. Com essa alteração, o organismo tem mais dificuldade em queimar as calorias consumidas, dificultando o emagrecimento.

Seja qual for o obstáculo, a receita para ganhar a silhueta desejada é a combinação de alimentação saudável e exercícios regulares. Entre os 20 e os 40 anos, recomenda-se muita salada e carnes brancas, como peixes. Para os mais velhos, os médicos enfatizam a necessidade do consumo de cálcio, obtido com o leite, por exemplo.

O que fazer

Cuidados básicos como alimentação balanceada, exercícios físicos e visitas regulares a médicos devem ser mantidos desde a juventude. Assim, aumentam as chances de um envelhecimento saudável. Confira outras medidas importantes de acordo com a faixa etária:

Entre 60 e 80 anos
:: Exercícios regulares, incluindo atividades de equilíbrio e resistência
:: Controlar o peso, evitando a perda de massa muscular e o ganho de gordura
:: Beber com moderação e não fumar
:: Checar colesterol e glicose, pelo menos, uma vez por ano
:: Realizar exames de detecção de câncer de mama e intestino, pressão sanguínea, osteoporose e diabetes, pelo menos uma vez por ano
:: Vacinar-se contra gripe e pneumonia
:: Mulheres precisam manter rotina de prevenção de câncer de colo uterino
:: Estimular a atividade mental, como leitura, e a convivência com amigos e parentes

Acima dos 80 anos
:: Fazer exames anuais de desintometria óssea, que avaliam a osteoporose
:: Medir a pressão sanguínea a cada seis meses
:: Mulheres devem continuar a realizar o autoexame de mama mensal
:: Vacinar-se contra gripe e pneumonia
:: Ajustar a casa para evitar quedas, retirando todos os obstáculos possíveis
:: Quem tem limitações de mobilidade deve usar andador ou bengala, evitando tombos mais sérios
:: Não abandonar a atividade intelectual. Aprender, por exemplo, a tocar um instrumento musical
:: Fazer exercícios regularmente e manter a ingestão de cálcio – com consumo de leite e vitamina D, além de exposição moderada ao sol. Se não for suficiente, há remédios para suprir as necessidades de cada paciente
:: Seguir bebendo com moderação e continuar longe do cigarro

Leia mais
Comente

Hot no Donna