Empresa na França oferece pacote de raptos simulados, com perseguição e cativeiro

O chamado "sequestro de férias" custa o equivalente a R$ 2 mil

Internautas usam redes sociais e comunidades virtuais para aliviar o sofrimento
Internautas usam redes sociais e comunidades virtuais para aliviar o sofrimento Foto: Stock Photos, Divulgação

Por R$ 2 mil, clientes da Ultime Réalité, na França, podem comprar um pacote básico de sequestro em que eles são capturados por estranhos, amarrados, jogados em um carro e depois mantidos em um porão úmido por quatro horas.

Se imaginar que isso é pouco, o interessado pode, ainda, encomendar perseguições de barco, fugas em helicóptero ou passar até 10 horas raptado. Pagando mais, é claro.

Esse é o ramo de atuação da empresa que funciona em Besançon, no leste da França. Quem mais usa os serviços são altos executivos, que buscam mais emoções do que um salto de bungee-jump ou paraquedas. Também há pessoas que querem vencer fobias por experiências extremas – uma pessoa já pediu até para ser enterrada viva.

Quem contrata o serviço pode explicar com detalhes o que deseja e, depois de tudo combinado, assina um contrato, mas não sabe quando ou onde será capturado.

– Você vai passar por sensações reais de violência, terror e medo de um sequestro, um choque psicológico que você não esquecerá tão cedo – promete o site da empresa.

Segundo a Ultime Réalité (algo como realidade final em português), inaugurada em janeiro, as histórias geralmente são propostas pelos próprios clientes, que têm as ideias em sonhos, pesadelos ou de algo de literatura ou cinema. O tempo máximo de sequestro foi de 11 horas, e até hoje ninguém ficou ferido, assegurou Georges Cexus, 28 anos, fundador da empresa ao jornal L’Est Républicain.

O serviço remete ao filme The Game, de 1997, em que o protagonista, Nicholas Van Orton, interpretado por Michael Douglas, se vê preso dentro de um “jogo” organizado por um grupo chamado Serviços de Recreação do Consumidor.

Leia mais
Comente

Hot no Donna