Especialista explica como tratar deformidades nos pés dos recém-nascidos

Problema pode ser diagnosticado ainda no início e o tratamento é imediato

Afetando apenas um em cada mil nascidos vivos, o Pé Torto Congênito (PTC) é uma deformidade complexa que envolve ossos, músculos, tendões e vasos sanguíneos. Normalmente as crianças apresentam o calcanhar elevado e um pé pequeno, voltado para dentro. Em meninos a incidência pode ser duas vezes maior do que em meninas.

Segundo o ortopedista do Instituto Saúde Plena e chefe do departamento de Ortopedia Pediátrica do Hospital Santa Casa, Miguel Akkari, o problema pode ser diagnosticado ainda no início e o tratamento é imediato. A causa do Pé Torto não está totalmente esclarecida pelos médicos. É possível afirmar, no entanto, que o problema é mais comum em determinadas famílias.

? Algumas vezes o diagnóstico de pé torto é feito nos exames pré-natais. Quando isso ocorre o tratamento é iniciado antes do nascimento, com a orientação dos pais. Logo após o nascimento, iniciamos o tratamento com manipulação manual dos pés e trocas de gesso periódicas visando à correção da deformidade. A maioria dos casos é corrigido antes do terceiro mês de vida. Quando a deformidade não se corrige totalmente devemos realizar uma cirurgia complementar. O ideal é que o pé esteja totalmente corrigido antes que a criança inicie a marcha ? explica.

Após a correção, a deformidade tende a reaparecer. Para prevenir esse acontecimento, na retirada do último gesso, recomenda-se usar uma órtese em tempo integral por três meses e depois apenas à noite pelo período de dois a quatro anos. A órtese consiste de uma barra de ferro anexada a botas. Uma tira de couro deve ser colada acima do calcanhar para impedir que os pés escorreguem. A criança pode ficar desconfortável no começo, mas logo aprende a mexer as pernas juntas e se acostuma com a nova condição.

? O pé torto congênito, quando não corrigido com uso de gessos e órtese, deve ser tratado cirurgicamente, não devemos aceitar problemas que dificultem a marcha ? afirma.

O médico alerta, no entanto, que a cirurgia não cura o pé torto. Ela melhora a aparência do pé, mas diminui a força dos músculos do pé e da perna, causando rigidez a partir da segunda década de vida. Com isso, há redução da mobilidade das articulações dos pés, e estes podem tornar-se dolorosos ao longo dos anos.

? Normalmente as deformidades dos pés são facilmente diagnosticadas, pois chamam muito a atenção dos pais. Em caso de dúvidas deve-se procurar imediatamente um médico ? aconselha o médico.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna