Especialistas dão dicas de como economizar na hora do jantar natalino

Para encher os olhos e não esvaziar o bolso

Escolher outros pratos que não o típico pode baratear a ceia
Escolher outros pratos que não o típico pode baratear a ceia Foto: Ricardo Wolffenbüttel

Festas de fim de ano são sinônimos de reunião familiar, troca de presentes e de quebrar a cabeça pensando em como montar uma ceia para encher os olhos e o estômago e não esvaziar os bolsos. As opções de pratos para servir no Natal são muitas e variam do tradicional peru até os produtos mais caros, como o bacalhau.

Além da variedade, o preço também faz toda a diferença na hora da escolha. Algumas dicas são fundamentais para que a comilança não vire uma tremenda indigestão no dia seguinte e comprometa, inclusive, o orçamento.

De acordo com o especialista em finanças Antonio De Julio, o consumidor deve estar ciente de que a data demanda mais gastos. 

? É preciso ter em mente que, além do supermercado ‘tradicional’ do mês, há esses gastos extras, que podem pesar bastante e comprometer o orçamento.

A professora de economia monetária da Universidade da Região de Joinville (Univille) Jani Floriano, lembra que o planejamento é o melhor amigo da ceia de Natal. 

? Se a comemoração for para muitas pessoas, o ideal é elaborar um cardápio com antecedência e dividir os pratos entre os participantes. Desse jeito, não fica pesado para ninguém ? ensina ela.

Outra dica é escolher embalagens maiores, que podem ser divididas com outras pessoas ou comprar as frutas secas à granel, por exemplo. Neste caso, a economia pode ser bem considerável. Em média, o preço do quilo da castanha com casca custa R$ 11,90 se comprada solta. Em embalagens de 160 gramas, a castanha descascada vai para R$ 9,45. O quilo da noz custa R$ 15,90 e, se comprada em pacotes de 80 gramas, sai por R$ 3,19.

A professora da Univille aposta na substituição de produtos para que a ceia caiba no bolso. Se o peru está caro, o conselho é a troca por uma ave com mais peito e coxa ou um frango recheado. 

? No final do ano, parece mais fácil comprar por causa do incremento do 13º. Por isso, faça uma lista do que precisa comprar, faça as contas e veja o que cabe no orçamento.

Com o dólar desvalorizado, é hora também de optar pelos produtos importados, como as frutas cristalizadas e secas, chocolates e bebidas. Para quem quer fazer uma ceia farta, não abre mão das gostosuras de Natal, mas está com o bolso um pouco vazio nesta época, é melhor se controlar.

? O ideal é que as compras sejam pagas à vista. Se não for possível, use o cartão de crédito, mas lembre de pagar em dia. Cheque pré-datado é uma opção, mas deve ser para no máximo 30 dias ? diz Jani.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna