Estica e puxa

Essencial à atividade física, o alongamento ainda gera dúvidas e mitos

Treinar com dor nunca é uma boa ideia, portanto, cuide-se!
Treinar com dor nunca é uma boa ideia, portanto, cuide-se! Foto: Stock xchng

Mesmo aparentemente simples, existem inúmeras técnicas e precauções na hora de se alongar – e, talvez por isso mesmo, uma série de dúvidas e mitos a respeito da prática, essencial à atividade física.

O presidente da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva (Sonafe), Marco Tulio Saldanha, aponta que, entre os cuidados a serem tomados, estão o de não realizar exercícios de alongamento quando o músculo estiver em processo inflamatório. Também não se deve alongar depois de colocar gelo sobre o músculo, sob o efeito de drogas analgésicas ou anestésicas nem as regiões que já estejam muito flexíveis. Outro alerta: sempre interromper o exercício caso apareça alguma sensação diferente da esperada.

? Nesses casos, deve-se procurar um profissional para orientações. Como modalidade de exercício, o alongamento deve ser prescrito por um profissional da área do exercício, seja por um professor de educação física ou por um fisioterapeuta ? adverte o profissional.

Confira alguns dos principais mitos em torno do alongamento:

:: Fazer alongamentos influencia na estatura
Segundo o professor da Universidade de Brasília (UnB) André Reis, após a prática esportiva os músculos estão contraídos e, caso a pessoa não alongue, os músculos vão encurtando.

? O alongamento pós-prática devolve ao músculo sua anatomia natural, consertando a postura e fazendo a pessoa parecer mais alta ? explica.

:: Alongamento excessivo deixa o músculo mais fraco
De acordo com o professor de fisioterapia esportiva da Universidade Católica de Brasília Renato Valduga, se feito em dias alternados aos do treinos de força, pode acontecer o contrário: o músculo pode ficar mais forte.

A prática do alongamento em atletas de alta performance é diferente da dos atletas de “fim de semana”

O médico Jomar Sousa afirma que, no geral, não:

? A grande diferença é que os atletas costumam ter uma maior amplitude de movimentos articulares quando alongam.

Alongamento melhora o desempenho do atleta

Para o presidente da Sociedade Nacional de Fisioterapia Esportiva (Sonafe), Marco Tulio Saldanha, é justamente o contrário. Segundo ele, diversos estudos sugerem que o alongamento causa diminuição da força muscular e do desempenho em atividades de geração de força explosiva, como arrancadas e saltos:

? Mas em modalidades como a ginástica olímpica a flexibilidde é determinante no desempenho do atleta, sendo necessário realizá-lo regularmente.

Deve-se alongar o músculo até sentir uma dorzinha

Não. A especialista em flexibilidade Paula Keiko explica que é recomendável que o alongamento seja feito de forma dinâmica, com movimentos específicos e baixas cargas. Seguido da aplicação de exercícios passivos e estáticos, respeitando-se o limite da dor.

? Nunca treine com dor ? enfatiza.

:: TIPOS DE ALONGAMENTO ::

Estático: é quando se mantém o músculo a ser alongado numa posição em que esteja na maior extensão possível. Um exemplo é puxar a perna para trás, alongando a parte anterior da coxa.

Dinâmico: consiste na repetição de movimentos corporais, primeiramente em ritmo lento e confortável, aumentando aos poucos a velocidade e amplitude. Exemplo desse tipo é a rotação de braço para trás e para frente.

Passivo: quando o alongamento do músculo do atleta é feito por uma outra pessoa. Um exemplo dessa categoria é quando a pessoa deita e tem sua perna levantada e empurrada por um terceiro.

Balístico: consiste na realização de um movimento brusco no sentido contrário à ação do músculo que está sendo alongado. Um exemplo é o realizado por jogadores de futebol quando chutam várias vezes o ar para alongar os músculos da parte posterior de coxas.

Agradecimento: Cia Athletica

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna