Estreia nesta sexta A Comédia do Sexo

Minissérie é dirigida por Jorge Furtado é foi gravada no Rio Grande do Sul

Decamerão terá mais quatro capítulos
Decamerão terá mais quatro capítulos Foto: Fabio Rebelo, TV Globo

As brasas que restaram adormecidas no episódio-piloto exibido em janeiro voltam a ser sopradas hoje à noite, quando os fogosos personagens de Decamerão – A Comédia do Sexo voltarem para uma temporada semanal com mais quatro capítulos.

Realizada no Rio Grande do Sul pela Casa de Cinema de Porto Alegre, a nova microssérie da Globo vai ao ar na RBS TV às 11h, após o Globo Repórter.

Decamerão segue os passos da recentemente exibida Som & Fúria na tentativa de elevar o padrão de qualidade da TV brasileira. Para os que tem ainda fé nessa missão, a recompensa é um prato dos mais saboroso e divertidos. Baixa o pano sobre William Shakespare  (1564 – 1616), entra em cena o texto satírico escrito no século 14 pelo italiano Giovanni Boccaccio (1313 – 1375), que, notarão os espectadores, exerceu grande influência  sobre o bardo inglês. Em comum a esses dois grande autores, os elementos fundamentais da boa dramaturgia – no caso de Decamerão, dois dos mais populares, a comédia erótica e a poesia, já que os diálogos são todos em versos.

O cineasta Jorge Furtado, que assina a direção geral de Decamerão, tem convicção de que os mestres contadores de histórias do passado têm muito a dizer na televisão do futuro – opinião compartilhada Ana Luiza Azevedo, sua sócia na Casa de Cinema e codiretora do novo projeto. Com cenário na serra gaúcha –  Linha Jansen (Farroupilha) e Linha Santo Alexandre (Garibaldi) – essa releitura de Decamerão é bastante livre. É ambientada em um universo próprio imaginário entre o fim da Idade Média e os primeiros tempos da colonização italiana no Estado, e a trilha sonora vai de Cássia Eller e Nelson Cavaquinho.

O Espelho, episódio dessa sexta, por exemplo, começa ao som de Rosinha Valença em Madrinha Lua:

“Minha madrinha lua / Traz um amor pra mim / Bem depressinha agora/ Oh madrinha / Traz um amor pra mim”. Na cama, Monna (Deborah Secco) desperta de um sonho alta voltagem e em vez do amante, o falso padre Masetto (Lázaro Ramos), quem está ai seu lado é “marido banana” Tofano (Matheus Nachtergaele). O capítulo relembra que a criada Monna casou-se com patrão Tofano por conveniência financeira e com a bênção do religioso picareta. Tofano, por sua vez está de olho na jovem Isabel (Leandra Leal), mulher de Filipinho (Daniel de Oliveira). Já o casal de empregados Calandrino (Edmilson Barros) e Tessa (Drica Moraes) diverte-se colocando mais lenha nas futricas amorosas da turma.

Com roteiro de Furtado, Guel Arraes, Carlos Gerbase e Adriana Falcão, o tom de Decamerão é o da comédia rasgada. Os diálogos em versos são um grande atrativo, paradoxalmente, por soarem tão naturais ao enredo e ao ouvido como uma boa canção. A pedra de toque da produção é o time de atores excepcionais reunidos por Furtado, que neste primeiro primeiro episódio vê brilhar Drica Moraes, hilária em um peculiar registro “porto-alegrês-medieval”.

Próximos episódios de Decamerão

O vestido – 7 de agosto

Uma grande festa agita a comunidade, sobre tudo Tessa, Monna e Isabel, que querem impressionar com vestidos novos. Nessa disputa para ver qual será a mais bela, as mulheres inferniza a vida de seus pares, tanto que Isabel e Filipinho acabam por ter um desentendimento.

O abade – 14 de agosto

Depois de ser enganado por Masetto no primeiro episódio, o religioso interpretado pelo ator gaúcho Nelson Diniz volta ao elenco. Sem desconfiar que o malandro tomou seu lugar como guia espiritual da comunidade, o abade chega para inaugurar o novo altar da capela, em quanto Masetto precisa fugir para não ser desmascarado.

O ciúme – 21 de agosto

Belisa (Fernanda de Freitas) é um bela francesinha que chega para visitar a prima Isabel. Com muito charme e biquinhos acaba atiçando Filipinho (Daniel de Oliveira) e apimentando u divertido triângulo amoroso. Ao mesmo tempo, Tessa acusa seu marido, Calandrino, de estar tendo um caso.

Boccaccio e Bocage

Não confunda o italiano com o português. Um nada tem a ver com outro. Giovanni Boccaccio (1313 _ 1375), autor de Decamerão, tampouco é contemporâneo a Manuel Maria Barbosa du Bocage (1765 _ 1805). Boccaccio, considerado o primeiro grande romancista da literatura italiana, deixou como legado um talento narrativo em prosa e verso que influenciou autores como William Shakespeare. Bocage teve forte presença na literatura portuguesa como autor de textos satíricos e libertários inspirados em sua vida de aventura e boemia que, por vezes, o colocou em apuros com as autoridades.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna