Estresse pode ser uma das causas da acne entre as mulheres adultas

Cerca de 30% do público feminino sofre com as indesejadas espinhas

Algumas mulheres possuem acne persistente, que continua depois da adolescência
Algumas mulheres possuem acne persistente, que continua depois da adolescência Foto: Adriana Franciosi

Apesar da maior probabilidade de surgirem durante a adolescência, a acne também pode causar transtornos em mulheres adultas. Cerca de 30% do público feminino sofre com as indesejadas espinhas. O que poucas pessoas sabem é que o estresse pode estar por trás disso.

O surgimento da acne na mulher, na maioria dos casos, ocorre de duas maneiras: a persistente, que continua após a adolescência e a tardia, que se desenvolve a partir dos 25 anos, geralmente provocada pelo aumento de hormônios sexuais (andrógenos). Mas estudos revelam que existem outros fatores que podem justificar o desenvolvimento de acne na mulher, como o estresse, que está ligado diretamente à agitação cotidiana.

? O estresse pode desencadear o quadro de acne, pois nessa situação ocorre a liberação do hormônio cortisol. Este hormônio, por diversas maneiras, estimula a atividade das glândulas sebáceas e com isso há uma piora da acne ? conta a dermatologista Luciana Godoi.

Um estudo realizado pela Universidade de Leeds, na Inglaterra, revela que a acne nas mulheres aumentou nas últimas décadas. Em 1979, a doença atingia apenas 10% das mulheres. Hoje o percentual subiu para 30%.

Ainda de acordo com a dermatologista, a acne persiste após a adolescência por alterações hormonais ou por um aumento na sensibilidade de receptores na pele.

? A paciente pode apresentar alteração na dosagem de hormônios ou todos os exames apresentam-se normais, entretanto a pele dessa paciente capta muito mais esses hormônios que estão presentes em níveis normais no sangue ? explica.

Quando a causa é hormonal, o procedimento inicial do tratamento consiste em uma combinação de medicamentos.

? Nesses casos, além do uso dos produtos habituais para tratamento da acne, é fundamental uma parceria com o ginecologista e/ou endocrinologista na administração de medicamentos que vão atuar no metabolismo androgênico tecidual ? completa a especialista.

Vale ressaltar, que para que os medicamentos proporcionem bons resultados, é necessário que as pacientes não abandonem os tratamentos que, geralmente, proporcionam resultados a longo prazo.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna