Ex-mulher de Mick Jagger conta o que a levou a lançar livro biográfico

Jerry Hall dá sua versão para fatos e histórias do famoso ex e da vida de casal

Jerry Hall rejeita plásticas e diz que sua receita de beleza é dormir bem e beber água
Jerry Hall rejeita plásticas e diz que sua receita de beleza é dormir bem e beber água Foto: Divulgação

Compartilhar

Jerry Hall é um dos poucos ícones dos anos 1970 que lembra de grande parte da década mais rock n’ roll de todas. Atualmente, porém, ela mais interessada em um universo completamente distinto: críquete, seus filhos e sua cria ção de galinhas

Há alguns anos, Jerry Hall aceitou um adiantamento de 500 mil libras da editora Harper Collins para escrever sua autobiografia. Debruçou-se sozinha sobre o ofício, dispensando a ajuda de um escritor. Mas a Harper Collins não gostou. Rejeitou a obra, justificando “falta de apelo”: não havia menções suficientes a Mick Jagger, com quem Jerry Hall passou 20 anos casada e teve quatro filhos. Prontamente, ela devolveu o adiantamento à editora e produziu, em vez da autobiografia, um livro de mesa com muitas fotos deslumbrantes dela mesma, My Life in Pictures.

Jerry Hall foi uma das primeiras supermodelos do planeta. É uma mulher deslumbrante. Isso fica imediatamente claro quando ela chega para a entrevista desta reportagem em um bar pouco iluminado, no hotel Savoy, em Londres. Seu texto é uma viagem, por vezes, sublime: “Estava tomando café e comecei a conversar com um casal mais velho que sentava perto perto de mim”, diz um dos trechos do livro sobre seus dias em Paris, onde chegou aos 17 anos, com o frescor do interior do Texas. “Eles, na verdade, eram Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir. Eu sabia quem eram porque havia assistido a um programa sobre existencialismo na TV e também adoro o livro  O Ser e o Nada.

Questionada sobre se algum dia leremos uma memória sem cortes, Jerry Hall é enfática:

? Não acho que farei outro livro sobre mim. Dá muito trabalho. Levei um ano para terminá-lo.

Jerry Hall conseguiu escrever um livro tem a característica de agradar a todos os mencionados, até mesmo Bryan Ferry, que ficou desolado quando ela o largou para ficar com Mick Jagger em meados dos anos 1970 ? tanto que Ferry ficou com todas as roupas da ex-modelo. Ela afirma ter gostado de refletir sobre sua vida.

? É bastante catártico. Fiquei impressionada com tudo o que fiz. Mas não me arrependo de nada, e não mudaria nada. Tive uma aventura maravilhosa e quatro lindos filhos. Mick e eu somos ótimos amigos. É um grande feito ter a vida que tivemos juntos.

Jerry Hall é a primeira de cinco irmãs e gêmea Terry. Todas nascidas em uma pequena cidade no Texas e criadas por uma mãe que amava filmes e fantasiava ser Scarlett O’Hara e por um pai que nunca se recuperou depois de ter servido na Segunda Guerra.

? Ele era muito volátil e muito perigoso. Voltou do front com síndrome do estresse pós-traumático. Foi muito afetado. Costumava bater nas filhas regularmente, e todas elas deixaram o lar ainda jovens para livrarem-se dele.

Com US$ 800 que recebeu como compensação por mau atendimento em um hospital depois de uma batida de carro, Jerry Hall partiu para a França pouco antes de seu aniversário de 17 anos.

? Minha primeira viagem de avião foi a Paris ? lembra ela. ? Tinha essa fantasia de que me tornaria uma modelo, e foi o que aconteceu. Minha mãe insistia que eu tinha de ir à Riviera. Estávamos assistindo a Ladrão de Casaca, e ela disse: “A Riviera é o lugar para você ir”. Gastei meus últimos trocados em um biquíni rosa metálico de crochê e em um par de salto alto, comecei a andar pela praia em Saint-Tropez quando um homem veio e perguntou: “Você gostaria de ser modelo?”. Veja só o quão sortuda eu fui.

Já em Paris, Helmut Newton fotografou-a em roupas de dominatrix. “Isso não é pornografia”, disse Newton, tentando consolar uma iniciante Hall que se debulhava em lágrimas. “Isso é arte”. Jerry Hall admite que jamais imaginou que se perpetuaria por tanto tempo na carreira.

? Pensei que fosse coisa de cinco anos. Fico até hoje surpresa com minha bem-sucedida trajetória.

Aos 54 anos, ela é absurdamente bonita ? muito mais pessoalmente do que na TV. Não é nada afetada, pontua a conversa com uma risada engasgada e fuma um cigarro ao final da entrevista, contrariando todas as regras do hotel.

? Sempre quis ter uma família, era um de meus grandes desejos. Na escola, tinha aulas de teatro, sempre quis atuar. Eu frequentei escolas de teatro em Nova York, Los Angeles e em Londres, fiz papéis pequenos aqui e ali, mas nunca tive muito tempo para me dedicar. O trabalho como modelo sempre pagou mais.

Nos últimos anos, Jerry Hall teve, finalmente, este tempo para o palco. E atuou em A Primeira Noite de um Homem, Monólogos da Vagina e Garotas do Calendário.

Jerry Hall e Mick Jagger se divorciaram em 1999, depois que ele foi fotografado mais de uma vez com uma modelo de vinte e poucos anos.

? Divorciar-se é sempre horrível, porque você sente que fracassou ? admite. ? Todos odeiam desistir de um casamento. Você pensa que acabou com sua família. Mas conseguimos manter a família um tanto forte, e ainda somos amigos. O divórcio não é o fim do mundo. Pior é continuar em um mau casamento. Esse é o pior exemplo para os filhos.

Jerry diz que Jagger era um marido problemático, mas um bom pai.

? Ele ama seus filhos, era muito bom em ajudá-los com as lições de casa. Ele ama História, era bom em levá-los para passear com os cães, adora atividades ao ar livre, andar de bicicleta, jogar críquete ? enumera.

A paixão do Stone pelo esporte contagiou a ex-mulher.

? Me tornei capitã do time feminino; e ele, do masculino. Éramos muito competitivos.

Suas duas filhas, Elizabeth e Georgia, são modelos; o mais velho, James, é ator e músico; e o caçula, Gabriel, um jovem estudioso de 13 anos que planeja seguir os passos do pai de Jagger e ensinar História. Jerry tentou dar a todos uma criação tão normal quanto possível.

? Eu os criei nos subúrbios de Richmond Hill, no sudoeste de Londres. Nunca os deixava ir a Londres e pedia que eles fizessem tarefas. Escondia deles algumas notícias dos jornais e nunca discutimos a fama dos pais.

Na metade da década de 1970, quando conheceu Mick Jagger, colocou como condição para terem um relacionamento que ele largasse a heroína.

? Sempre tive medo de drogas. Não apenas era ilegal, mas também muito perigoso. Além do mais, fazem muito mal para a aparência. Nunca vi sentido para usar drogas quando duas taças de vinho com amigos são tão divertidas quanto.

Uma garota do rock’n’roll com espírito de suburbana. Poderia se assim traduzida Jerry Hall?

? Sempre fui uma pessoa mais caseira. Gosto da cozinha e do jardim. Crio galinhas, o que é muito normal em Richmond.

Acorda cedo e prepara um café da manhã especial para o caçula Gabriel. Atualmente, são apenas os dois na casa da família, e ela diz que, qualquer dia, se mudarão para um lugar menor. Ela vendeu há pouco uma grande parte de sua coleção de arte por 2,4 milhões de libras e anda preocupada com ladrões. Por essa razão, anda em busca de um flat onde tenha mais segurança e não precise se preocupar com o conserto de calhas.

Jerry Hall fala com carinho do novo namorado ? um empresário australiano de mais de 50 anos chamado Warwick Hemsley, que ela conheceu enquanto atuava em A Primeira Noite de um Homem, em Perth. O relacionamento parece sobreviver ao fato de que eles estão separados por 19 mil quilômetros a maior parte do tempo.

? Temos viajado bastante. Estamos apenas nos divertindo muito no momento ? diz, despistando sobre planos de casamento.

Os filhos, garante, gostam de Hemsley. E Mick?

? Ele não o conheceu ainda.

Será que ele viria ao seu casamento, caso acontecesse?

? Não chegamos lá ainda ? sorri. ? Talvez ele pode tocar alguma música para a minha entrada ? ri, nervosa.

Jerry Hall aceita o envelhecimento como algo inevitável.

? A ideia de envelhecer é horrorosa, mas não quero fazê-la parecer melhor tornando-me uma caricatura grotesca. Muitas pessoas cometem o erro de tentar manter a mesma aparência jovem e acabam ficando assustadoras.

Ela rejeita a cirurgia cosmética, dizendo que é impossível para um ator expressar emoções com um rosto cheio de botox. Nunca nem arrumou os dentes ? um deles é até meio torto. Para continuar jovial, recomenda comer de forma saudável, beber muita água, dormir bastante, exercitar-se e tentar ser feliz.

? E ter uma boa vida sexual.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna