Excesso de sol e cálcio comprometem resultados do botox

Pesquisadores explicam porque algumas pessoas não reagem a ela

Faça os cremes de queijo e de abóbora separadamente para, depois, misturá-los
Faça os cremes de queijo e de abóbora separadamente para, depois, misturá-los Foto: Divulgação

Comumente utilizada no combate às rugas, a toxina botulínica, chamada também de botox, ficou conhecida principalmente pela forma como age no organismo, reduzindo a contração dos músculos faciais e, consequentemente, a formação das rugas de expressão.

Pesquisas recentes apontam que os efeitos esperados da substância podem ser afetados pela incidência de raios ultravioleta (UVB) e também pelo excesso de cálcio no organismo.

? Após o tratamento com toxina botulínica, uma região que recebe radiação UVB pode ter os efeitos reduzidos, se comparada à outra que não incidiu com os raios. Por ter resultados temporários, o estudo aponta que o seu tempo de duração diminuiria ? comenta Ana Paula Gomes Meski, dermatologista da Sociedade Brasileira de Dermatologia, regional São Paulo (SBD-SP).

A relação entre a substância e o cálcio se dá em esfera biomolecular.

? A toxina botulínica bloqueia a transmissão neuromuscular, inibindo a contração dos músculos responsáveis pelo aparecimento das temidas rugas e pés-de-galinha. O excesso de cálcio no organismo atrapalha esse processo bloqueador, fazendo com que os resultados durem menos tempo ? explica Meire Parada, também dermatologista da SBD-SP.

? Assim, os estudos evidenciam que o uso de bloqueadores do canal de cálcio pode potencializar os efeitos da toxina botulínica ? completa a especialista.

A dermatologista Bhertha Tamura, também da SBD-SP, alerta que nem sempre os efeitos esperados são alcançados.

? A toxina botulínica dependendo do local onde será aplicada, da quantidade injetada e da doença a ser combatida pode apresentar efeitos adversos. Por isso deve ser aplicada apenas por médicos qualificados e com experiência comprovada ? aconselha.

Auto-imunes à toxina botulínica

Bhertha afirma ainda que existem pessoas que não respondem ao tratamento com toxina botulínica.

? Alguns indivíduos, em casos raros, não apresentam as enzimas apropriadas para responder ao tratamento. Ainda não existem meios de saber se uma pessoa é imune à toxina botulínica antes de sua aplicação, mas não há relatos de efeitos adversos nos pacientes, exceto a eventual falta de resposta ao tratamento ? explica a médica.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna