Fabricantes investem em águas termais produzidas nacionalmente

Objetivo é rivalizando com os conceituados produtos importados

Foto: Reprodução

Que estrangeira que nada. Agora, nas prateleiras de farmácias e lojas de cosméticos, começam a surgir as famosas águas de borrifar no rosto feitas em solo nacional. Ao lado das embalagens das águas termais de grifes como La Roche Posay, Vichy e Avène, já há nomes como Dermatus, Vita H2O e Acqua Terapia. Mas na hora de escolher o spray que vai refrescar o seu rostinho, é bom saber quais as diferenças entre eles. As águas termais são provenientes de uma poderosa fonte pura, mas as marcas nacionais também andam inovando e criando produtos que não vêm apenas de estâncias minerais.

? As águas termais, como o nome diz, vêm de termas, que são as águas profundas que ficam décadas em contato com os minerais da rocha, absorvendo-os ? explica a dermatologista Aline Pinheiro. ? Por isso, são ricas em minerais e auxiliam na hidratação cutânea.

No Brasil, há termas conhecidas como as de Araxá e Poços de Caldas, em Minas Gerais, e a de Águas de Lindoia, em São Paulo. Uma, porém, vem sendo usada para fins cosméticos, que é a Águas de São Pedro, no interior paulista. É de lá que saem duas das novidades no mercado nacional, como a H2Os, da Cosmética Thalasso Thermal, e a Fotosim, da Jequiti.

Algumas marcas, no entanto, apostam em outras fontes no lugar de termas, como a Água Bioativa Vita H2O, da IgSikué, produzida a partir do lençol freático Guarani, em Ribeirão Preto. A água mineral da Serra do Japi é outra que agora também pode ser usada para borrifar na pele. O PuraInova Laboratório Dermatológico acaba de lançar duas versões que vêm de lá: Acqua (pura) e Aquassoma (aditivada com lipossomas, que ajudam a “carregar” a água e seus sais minerais para as camadas mais internas da pele).

Mas nem só de fontes ricas nascem os novos produtos brasileiros. A EOS Cosméticos aposta numa solução com essências de orquídea, violeta e íris, apenas para refrescar a pele. Da Racco, a Acqua Terapia vem com chá verde e ainda uma leve proteção solar (FPS 4).

A intenção da Dermatus foi reproduzir uma água termal em laboratório. Complex Up é o resultado de uma mistura de água, purificada por eles, com minerais e o ativo vegetal alantoína, que tem função regeneradora.

? A gente percebeu que o consumidor brasileiro aderiu a essas águas, e o médico costuma indicar por não serem oleosas ? diz a farmacêutica Paula Cavalcanti, da Dermatus. ? São boas para peles sensíveis.

Dermatologistas aprovaram as versões tupiniquins e apontam o preço como uma vantagem. As daqui custam em torno de 20% menos que as importadas. Apesar de algumas diferenças nas formulações, a recomendação de uso é a mesma. A médica Mônica Linhares costuma indicar com a finalidade de acalmar a pele, por exemplo.

? São ótimas para um pós-peeling, para quando chegar da praia ou depois de se barbear ? aconselha. ? Podem auxiliar na higienização do rosto, com um algodão. No verão, é ótimo botar uma na bolsa e dar uma esfriada na pele de vez em quando.

A dermatologista Aline Pinheiro acrescenta que elas têm uma função hidratante:

? Uma dica é usar para limpar o bebê na troca de fraldas, por ser uma pele sensível, e também como fixadora de maquiagem, logo após o pó compacto.

Leia mais
Vídeos recomendados
Comente

Hot no Donna